“As orações de Mansata”: Guiné Bissau no Theatro Circo

Fotogaleria

Em palco ouvem-se expressões guineenses, as cordas de uma korá e alusões que recordam a história de um país cativo de uma clique militar. É da Guiné-Bissau que aqui se fala. Mas em “As orações de Mansata” há actores de seis países diferentes e todos se entendem. É uma espécie de “milagre” diz o encenador, António Augusto Barros, justificado pela Língua Portuguesa. Apesar das diferenças é a língua o elemento comum entre os 13 intérpretes em palco e toda a equipa criativa deste espectáculo que está em cena a partir desta quinta-feira, dia 31 de Outubro, no Theatro Circo, em Braga. Os artistas vêm de Angola, Moçambique, Guiné, São Tomé e Príncipe, Brasil e Portugal e trabalharam, durante o último ano, em vários pontos do mundo para montarem este espectáculo que tem como ponto de partido um texto de um autor guineense. Lê o texto no PÚBLICO (exclusivo para assinantes)

Sugerir correcção