Eles fazem do lixo esculturas nas profundezas do oceano

Fotogaleria

Há algo de misterioso, pacífico e simultaneamente inquietante nas profundezas do oceano. O silêncio e a forma subtil como a luz se propaga debaixo de água conferem ao mero lixo marinho uma solenidade inesperada. É a surpresa com que nos brinda este projecto que o enaltece. O fundo do oceano alberga objectos e detritos resultantes das actividades humanas e foi a presença/ausência humana em local inóspito que despertaram a veia artística de Hortense Le Calvez e Mathieu Goussin, ambos artistas franceses auto-didactas e proprietários de Forlane 6, um veleiro mercante com 40 anos de idade, que baptizou também o estúdio fotográfico que constituíram juntos. Mathieu e Hortense não se limitam a fotografar esses objectos no seu contexto marinho. Seleccionam-nos e condicionam o seu posicionamento para formarem o que consideram ser escultura subaquática. É através da fotografia que emergem essas esculturas e as tornam visíveis em terra.

Sugerir correcção