Benfica critica FPF por esta ter dado seguimento a denúncia anónima

Em causa está a presumível utilização em condições irregular de jogadores "encarnados" num jogo da I Liga e noutro da Taça da Liga.

Benfica critica actuação do conselho de disciplina da FPF
Foto
Benfica critica actuação do conselho de disciplina da FPF Pedro Martinho

O Benfica considerou nesta quarta-feira a decisão de o conselho de disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de “bizarra” por ter remetido uma denúncia anónima, por alegada utilização irregular de jogadores, para a comissão de instrução e inquéritos (CII) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

Em comunicado divulgado no sítio oficial do clube na Internet, o Benfica denúncia o facto de este órgão federativo ter remetido “uma denúncia anónima que, supostamente, relata a utilização irregular de jogadores do Benfica no jogo com a Académica de Coimbra, a contar para a Taça da Liga”.

“Situação bizarra esta, uma vez que a conselho de disciplina da FPF viola com esta actuação os regulamentos que deveria cuidar de fazer respeitar. Denúncias anónimas e sem fundamento devem ter um único tratamento por parte deste órgão disciplinar: lixo”, refere o clube, no mesmo comunicado.

De acordo com o número cinco do Artigo 226.º do regulamento disciplinar da LPFP, “as participações anónimas ou que não digam respeito a factos concretos, ainda que indicados com pouco rigor ou determinabilidade, serão imediatamente arquivadas sem dar lugar à instauração de processo disciplinar, salvo se em si mesmas constituírem o objecto de uma infracção disciplinar”.

Em causa está o facto de o CD da FPF ter remetido para a CII uma denúncia, quanto à marcação de dois jogos de duas competições organizadas pela LPFP, casos da vitória dos “encarnados” no terreno do Estoril-Praia por 3-1, em jogo da 13.ª jornada da I Liga disputado em 6 de Janeiro de 2013, às 20h15, e a recepção à Académica, para a Taça da Liga, que a formação lisboeta venceu por 3-2 e foi jogado a partir das 19h45 de 9 de Janeiro de 2013.

Neste caso, a denúncia contestava a marcação de dois jogos num período inferior às 72 horas, sendo que o treinador da equipa “encarnada”, Jorge Jesus, utilizou Sálvio, Ola John, Lima, Pablo Aimar e Jardel nos dois encontros.

“Quem tomou tal decisão, parece desconhecer a letra e o espírito do regulamento de competições. Quem fez a denúncia tinha um único objectivo: confundir situações que não são comparáveis. Só se estranha a absurda decisão do CD da FPF”, conclui o Benfica.