I Liga

Desta vez, o sofrimento só rendeu um empate a Sá Pinto

Sá Pinto só tem uma vitória na Liga
Foto
Sá Pinto só tem uma vitória na Liga Foto: Francisco Leong/AFP

O suspense em Alvalade começa a ser uma certeza em cada jogo do “leão”. Depois de ter estado a perder por 2-0, o conjunto orientado por Sá Pinto conseguiu chegar à igualdade a seis minutos do fim. A emoção prolongou-se até ao último apito do árbitro, com a bola a ameaçar as redes do Estoril, mas a agressividade do Sporting chegou tarde e, desta vez, não chegou para vencer.

Depois de mais dois pontos perdidos na Liga (já são nove em cinco jornadas), o futuro de Sá Pinto poderá depender dos próximos dois jogos. Frente ao Videoton, a meio da semana, na Hungria, para a Liga Europa, mas principalmente com o FC Porto, no Dragão, no próximo fim-de-semana. Neste sábado, a equipa de Alvalade só acordou depois do segundo golo do Estoril (58’) e principalmente com a expulsão de Gonçalo Santos (60’).

Tal como na ronda anterior, frente ao Gil Vicente, o Sporting saiu para o intervalo em desvantagem no marcador e sem conseguir marcar. Mas, ao contrário do que aconteceu com os minhotos, desta vez o resultado não surpreendia especialmente. É que o Estoril justificou a sua sorte.

Sá Pinto repetiu a receita que lhe valeu a primeira vitória do campeonato. Voltou a apostar no 4-1-3-2, reiterando que este é o novo desenho táctico do “leão”, com Rinaudo sozinho na frente da defesa e uma dupla de avançados móvel, com Viola a acompanhar Wolfswinkel. A única (semi) novidade foi a chamada de Carrillo para a esquerda do meio-campo, no lugar de Pranjic.

Se a nova versão sportinguista começou por prometer uma exibição agradável, cedo se perdeu a intensidade e consistência atacantes. Por demérito próprio, mas também por virtude do Estoril, muito bem organizado, pressionando as unidades mais avançadas dos “leões” e conseguindo levar perigo à área adversária.

Dois desses lances, na primeira metade, foram protagonizados por Luís Leal, autor de um hat-trick na última jornada. Ambas as jogadas (27’ e 45’) terão sido travadas em falta, mas só a segunda foi sancionada. Na cobrança do castigo máximo, Steven Vitória inaugurou o marcador.

Em desvantagem em cima do intervalo, o Sporting regressou mais pressionante para o reatamento, mas voltariam a ser os visitantes a festejar. A receita foi simples: contra-ataque perigoso conduzido por Gerso, passe para Luís Leal, que, na direita, não falhou. A frustração foi evidente nas bancadas, mas o árbitro da partida acabou por dar alguma esperança à equipa da casa expulsando, dois minutos depois, Gonçalo Santos, que viu o segundo amarelo por protestar, após ter sofrido falta de Carrillo.

Esta decisão acabou por ser providencial para os “leões”. O Estoril recuou drasticamente no terreno e um autogolo de Anderson Luís (76’) recolocou a equipa de Alvalade na partida. Aos 84’, Wolfswinkel empatou o encontro, seguindo-se momentos dramáticos junto das redes de Vagner, com o guarda-redes e a defesa a evitarem in extremis a reviravolta. Mas não faltaram oportunidades para a história ter sido diferente.

POSITIVO
Luís Leal

Formado nas escolas do Sporting, onde foi companheiro de Rui Patrício, Cédric e Carriço, este atacante internacional de São Tomé e Príncipe tem sido o abono de família do Estoril. Leva quatro golos no campeonato e é já um dos melhores marcadores da competição.


Wolfswinkel

Frente ao Gil Vicente, apontou o golo da vitória, aos 85’. Desta vez, rendeu mais um ponto, com o seu terceiro golo da temporada, aos 84’.


Vagner

O Estoril deve-lhe, em grande parte, este empate.


NEGATIVOCédric

Deixou-se antecipar e acabou por ser responsável pelo penálti que colocou o Estoril em vantagem, em cima do intervalo.


Primeira parte do Sporting

A equipa esteve adormecida na primeira metade e só acordou quando já tudo parecia perdido.


Ficha de jogo

Sporting, 2Estoril, 2

Jogo no Estádio de Alvalade, em Lisboa.

Assistência


: 35.003 espectadores.

Sporting

Rui Patrício, Cédric, Xandão (André Martins, 60), Marcos Rojo, Insúa, Rinaudo, Carrillo (Betinho, 74), Izmailov, Diego Capel (Jeffrén, 60), Van Wolfswinkel e Viola. Treinador: Ricardo Sá Pinto.

Estoril


Vagner, Anderson Luis, Steven Vitória, Bruno Nascimento, Jefferson, Gonçalo Santos, Carlos Eduardo (Evandro, 79), Diogo Amado, Licá (Elizeu, 64), Luis Leal e Gerso (Bruno Miguel, 81). Treinador: Marco Silva.

Árbitro

 Nuno Almeida (Algarve).

Amarelos


Licá (16), Cédric (45), Gonçalo Santos (52 e 61), Anderson Luis (89), Rinaudo (90+1) e Evandro (90+3).

Vermelho


Gonçalo Santos (61).

Golos

0-1, Steven Vitória, 45+1 minutos (grande penalidade).
0-2, Luis Leal, 58.
1-2, Anderson Luis, 76 (própria baliza).
2-2, Van Wolfswinkel, 84.

Notícia actualizada às 22h