Carla Cruz é a nossa agente na festa da Tate Modern

Foto

Peça questiona direito democrático ao apresentar uma urna fechada.

Há um projecto português na exposição de arte contemporânea que comemora o 10º aniversário da Tate Modern com 70 projectos inovadores de artistas contemporâneos, tínhamos dito há uma semana. Agora sabemos mais: "The Unsurpassable Horizon", com curadoria de Filipa Oliveira e Miguel Amado, nasceu da ideia do filósofo francês Jean-Luc Nancy, "La Communauté Désoeuvrée" ("A Comunidade sem Rumo", 1982) e pretende reflectir sobre um ideal comunitário, através do olhar dos artistas Carla Cruz, Ruth Ewan, Runo Lagomarsino, Lotte Lindner & Till Steinbrenner.

Com "demoCRACY 2010", uma mesa de voto com dois montinhos de boletins de voto em cada lado, e a suposta possibilidade de uma reposta múltipla à pergunta "Gostaria de participar?", a artista portuguesa Carla Cruz (1977) questiona as liberdades cívicas de participação individual em actos eleitorais e o desalento que resulta de expectativas de mudança, muitas vezes, frustradas. A peça questiona o próprio direito democrático ao apresentar uma urna fechada e ao não disponibilizar caneta ou lápis que possibilite a livre escolha.

Ruth Ewan (1980) apresenta uma série de desenhos-autocolantes, feitos por crianças e jovens entre os 12 e os 14 anos em ateliers organizados pela artista que nasceu e vive em Londres. Os desenhos mostram o preço de venda e aludem às ideias de grupos radicais britânicos, como por exemplo o marxista "The Plebs League" que tentou criar nas escolas uma corrente contra a imposição de uma ideologia capitalista. Com esta obra, a artista inglesa questiona a forma como a escola é ou não fonte de ideologia.  

O argentino Runo Lagomarsino (1977) cresceu e vive na Suécia e regressa às suas origens com um vídeo "No Conflict, Dance of the Piñata". A obra reflecte uma visão própria da colonização da América Latina, ao evocar a Piñata - um jogo usado pelos colonizadores europeus para evangelizar os povos latino-americanos - como metáfora da opressão, e da resistência que dela resultou e conduziu à descolonização.

"Start Spreading the News" é a proposta da dupla alemã Lotte Lindner & Till Steinbrenner (1971 e 1967, respectivamente). Nela uma impressora em cima de um escadote deixa cair, de dois em dois minutos, folhas A4 com notícias da Thomson Reuters, a agência de notícias que lidera no mundo. Ao criar a "imagem poética" de "falling news" ("notícias que caem") a instalação desafia o sentido de uma informação num só sentido, sem feed-back do público, e questiona como os media têm poder para moldar a visão do mundo actual.

"The Unsurpassable Horizon", o evento português na festa de anos da grande galeria europeia de arte contemporânea, faz parte do festival "No Soul for Sale - A Festival of Independents", "uma celebração das forças independentes que animam a arte contemporânea", "uma convenção de grupos e indivíduos que dedicam tempo e energia à arte em que acreditam". E vai estar hoje, amanhã e depois, no Turbine Hall, o espaçoso átrio da Tate Modern de Londres, para comemorar o aniversário do museu.