victor palla (1922-2006) Um arquitecto modernista

O arquitecto e pintor Victor Manuel Palla e Carmo faleceu na sexta-feira à noite, com 84 anos, em Lisboa, vítima de pneumonia. O corpo será cremado amanhã no Cemitério do Alto de São João, na capital. Nascido em Lisboa em 1922, Victor Palla terminou o curso de arquitectura na Escola de Belas-Artes do Porto em 1948. No entanto, tal não enfraqueceu a sua ligação à capital, e é aí que ainda hoje podemos admirar as suas obras mais emblemáticas, como a escola primária de Vale Escuro e o restaurante snack-bar Galeto. Ambas foram projectadas em parceria com o arquitecto Joaquim Bento d"Almeida, com quem partilhou um atelier durante 25 anos. Aliás, a dupla foi responsável pela concepção dos primeiros snack-bares em Portugal, destacando-se também o Piquenique e o Carossel, igualmente em Lisboa.
Multifacetado e de formação modernista, com influências de Le Corbusier e da escola brasileira, Victor Palla representava, para o crítico de Arquitectura do PÚBLICO Jorge Figueira, o "arquitecto do século XX que tinha uma capacidade de criação e de controlo a vários níveis", como as artes gráficas, o desenho de azulejo, a carpintaria e, claro, a própria arquitectura.
Para Jorge Figueira, a morte de Victor Palla significa "a perda de um testemunho importante de uma certa visão do mundo enraizada no modernismo, onde as várias modalidades, como a estrutura, a construção, a decoração e o grafismo, se unem". Exemplo disto mesmo é o já citado restaurante Galeto, onde o desenho percorre todo o espaço.
Ainda de acordo com este crítico e investigador de Arquitectura, Victor Palla distinguia-se "por trabalhar noutras disciplinas e trazê-las para a Arquitectura", o que, na opinião de Figueira, não é vulgar.
Para além de arquitecto, Palla destacou-se também na fotografia. Nesta área, realce para o livro Lisboa, Cidade Triste e Alegre, editado em 1959, juntamente com Costa Martins, contendo cerca de 200 fotografias, onde os autores captavam o quotidiano da cidade, particularmente em Alfama e no Bairro Alto. A acompanhar as fotos (escolhidas de entre um total de seis mil), o livro inclui excertos de poemas de autores portugues. Fracasso editorial na altura do seu lançamento, Lisboa, Cidade Triste e Alegre é hoje um livro difícil de encontrar, lacuna que, nos últimos anos, Victor Palla vinha tentanto corrigir, negociando uma reedição. Em 1999, Palla recebeu o Prémio Nacional de Fotografia. Léccio Rocha