Até domingo

Festival de Vilar de Mouros arranca hoje com Peter Gabriel

Domingo é o maior dia de concertos e por muitos considerado o mais forte
Foto
Domingo é o maior dia de concertos e por muitos considerado o mais forte Hugo Delgado/PÚBLICO

O Festival de Vilar de Mouros arranca hoje no Alto Minho com a actuação de Peter Gabriel a encabeçar o cartaz onde também figuram os portugueses Toranja e os Chemical Brothers.

Até domingo, Vilar de Mouros, aldeia do concelho de Caminha, recebe as actuações dos Fingertips, de Ice-T, dos The Cure, bem como do lendário Bob Dylan - que actua no último dia.

Domingo é o maior dia de concertos (cinco nomes) e por muitos considerado o mais forte.

Gary Jules, que surpreendeu recentemente com uma versão do famoso "Mad World", dos Tears For Fears, e PJ Harvey integram o cartaz do encerramento do festival.

Macy Gray fecha o palco principal depois de Bob Dylan, mas, tal como nos outros dias, a música continua até às 05h00 no palco secundário, com ritmos de dança para quem ainda tiver energia.

O mesmo palco de cimento irá receber bandas portugueses todas as tardes, que prometem ser bastante quentes.

Este ano, a heterogeneidade regressa pelas mãos da Câmara de Caminha, que reforçou a sua participação no evento mais famoso do concelho, assumindo a programação das manhãs do palco secundário, a estrutura em betão construída para a edição de 1982 e que hoje é um dos "ex-libris" de Vilar de Mouros.

Rebaptizado "Palco Tradições", vai receber nas três manhãs dez grupos de música popular do concelho de Caminha, muitos dos quais especializados na recolha e preservação de danças e cantares tradicionais.