• Cientistas portugueses conseguiram demonstrar, pela primeira vez, a existência de um vento meridional em Vénus, entre o equador e os pólos, que pode ajudar a esclarecer o mistério da super-rotação da sua atmosfera.

  • Foi o primeiro-ministro da Grã-Bretanha durante a Segunda Guerra Mundial e um autêntico entusiasta pela ciência. Winston Churchill escreveu um ensaio sobre a vida no Universo, que mostra o seu conhecimento sobre esta questão.

  • Dois gémeos foram separados: um ficou na Terra, o outro foi para o espaço durante um ano. O estudo pretende analisar os efeitos das viagens espaciais no ser humano e pode ser importante para avaliar o impacto de uma viagem a Marte.

  • Experiência quer simular as condições no planeta Marte e envolve vários testes no vulcão Mauna Loa, no Havai. É a quinta etapa de preparação da NASA para uma possível missão ao planeta vermelho.

  • Dois cérebros preservados do tigre-da-tasmânia foram analisados e comparados com o seu parente mais próximo, o diabo-da-tasmânia. Além dos dados sobre a sua estrutura cerebral, a experiência mostrou o sucesso de uma nova técnica.

  • Eram tão desconcertantes que não se conseguia determinar a sua posição exacta nas relações evolutivas entre as espécies – daí que os cientistas se limitassem a classificá-los como incertae sedis, a expressão em latim para “posição incerta”.

  • Três satélites europeus têm observado o campo magnético terrestre nos últimos três anos, para detectarem todas as suas mudanças e “verem” como é que este escudo invisível do planeta está a ser gerado no seu interior. Agora fizeram a sua primeira grande descoberta.