Mega-investigação revela nomes de milionários com contas offshore

A lista contém pormenores do mundo secreto dos paraísos fiscais e pode provocar um "abalo sísmico" no sector.

DR

O negócio dos paraísos fiscais sofreu esta quinta-feira um dos mais duros golpes de que há memória, com a divulgação de uma lista de nomes e valores das fortunas de milhares de milionários guardadas nas Ilhas Virgens Britânicas.

É o resultado de um investigação conjunta do International Consortium of Investigative Journalists (ICIJ), com sede em Washington (e cujo site está inacessível esta manhã), e de vários meios de comunicação social de vários países, incluindo o jornal britânico The Guardian, que descreve a lista agora publicada como "um abalo sísmico em todo o mundo no florescente negócio das offshores".

A divulgação dos nomes pode causar uma crise de confiança no sector, que assenta no anonimato como forma de transmitir segurança a quem pretende deslocar grande parte da sua fortuna para fora do país de origem.

A maioria das empresas até agora secretas tem sede nas Ilhas Virgens Britânicas. Da lista destacam-se alguns nomes bem conhecidos, que ficam agora ligados à deslocação de capitais que poderiam pagar impostos nos seus países de origem.

Um deles é Jean-Jacques Augier, tesoureiro da campanha presidencial de François Hollande em 2012. Augier é dono de uma empresa chinesa com sede nas ilhas Caimãs, que tem 25% de participação numa outra empresa com sede nas Ilhas Virgens Britânicas. Também o antigo ministro das Finanças da Mongólia Bayartsogt Sangajav está debaixo de fogo. Enquanto foi governante do país, entre 2008 e 2012, Sangajav abriu a empresa Legend Plus Capital Ltd., com conta na Suíça.

Da lista constam ainda a baronesa espanhola Carmen Thyssen, que, segundo a lista consultada pelo The Guardian, usa o offshore para comprar quadros; o Presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev; Olga Shuvalova, mulher do vice-primeiro-ministro russo, Igor Shuvalov; Tony Merchant, marido da senadora canadiana Pana Merchant; Maria Imelda Marcos Manotoc, a filha mais velha do antigo Presidente filipino Ferdinand Marcos e actual governadora da província de Ilocos Norte; e Denise Rich, ex-mulher do magnata Marc Rich, que recebeu um perdão presidencial de Bill Clinton em 2001 relativo ao não-pagamento de impostos na ordem dos 100 milhões de dólares.

Ouvido pelo The Guardian, o responsável financeiro pela administação do território britânico nas Caraíbas, Neil Smith, recusou a acusação de que a ilha funcione como "um porto seguro para pessoas com falta de ética". "A nossa legislação favorece um ambiente mais hostil para a ilegalidade do que a maioria das outras jurisdições", disse o responsável.

O ICIJ e o The Guardian dizem ter mais de 200 gigabytes de dados relativos a operações efectuadas na última década nas Ilhas Virgens Britânicas, mas também em Singapura, Hong Kong e nas ilhas Cook, que serão revelados ao longo dos próximos dias.
 
 
 

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.