É preciso reduzir a emissão de gases com efeito de estufa, separar mais o lixo, consumir menos carne… Como se posiciona Portugal em relação aos objectivos traçados a nível europeu? Em alguns casos, está próximo de os alcançar. Noutros nem tanto.

Há quem questione: os portugueses representam apenas 0,13% da população mundial. Vale a pena o esforço? Francisco Ferreira, presidente da Zero, não tem dúvidas de que sim. “Têm de existir países líder, que constituem exemplos, que reforçam políticas e que constroem coligações com outros países de maiores dimensões”, nota. Portugal constituiu-se como exemplo ao atingir valores recorde de produção de energias renováveis e ao anunciar a ambição da neutralidade carbónica em 2050. “Há um compromisso importante de Portugal porque também somos dos que mais sofremos as consequências”, aponta o ambientalista.

Explore os indicadores para perceber quão próximo está Portugal de atingir diferentes objectivos ambientais estabelecidos para os próximos anos.

Reciclagem de resíduos urbanos em Portugal

0%
A sua tentativa
Meta (até 2020): 50%
Onde estamos (dados de 2017)
28,4%

Em Portugal, a taxa de resíduos reciclados é inferior a 30%. A meta imposta pela União Europeia (EU) indica que deveríamos reciclar metade do lixo produzido até 2020. No relatório Reexame da aplicação da política ambiental da UE de 2019: uma Europa que protege os seus cidadãos e melhora a sua qualidade de vida, a Comissão Europeia voltou a lembrar que “Portugal é um dos países em risco de incumprimento do objectivo”. Em Novembro, o Governo pediu mais dois anos à Comissão Europeia para cumprir a meta dos 50%.

Além de Portugal, a Bulgária, Croácia, Chipre, Estónia, Finlândia, Grécia, Hungria, Letónia, Malta, Polónia, Roménia, Eslováquia e Espanha também estão em risco de não cumprir esta meta.

Até 2035, os países da UE devem estar a reciclar 65% do lixo que produzem.

Resíduos urbanos enviados para aterro

0%
A sua tentativa
Meta (até 2035): 10%
Onde estamos (em 2017)
43%

Esta é outra meta estabelecida a nível europeu em que Portugal também ainda fica aquém. O objectivo será reduzir, até 2035, o lixo enviado para aterro para 10% do total produzido. Em 2017, contudo, 43% dos resíduos produzidos ainda tinham esse destino. Em 2016, os países da UE já deviam estar a encaminhar para debaixo da terra apenas 35% do lixo produzido.

“O aterro é a opção menos preferível para tratamento de resíduos. Embora os números tenham decrescido de forma constante na União Europeia (UE), a taxa média de resíduos em aterro na UE ainda era de 24% em 2016. Persistem grandes diferenças na UE: em 2016, dez Estados-membros ainda depositaram mais de 50% dos resíduos urbanos, enquanto cinco notificaram taxas superiores a 70%”, diz a Comissão Europeia num comunicado de 2018.

Quantos quilogramas de lixo produz cada português?

  • 1035
  • 487
  • 256

Cada português produz quase meia tonelada de lixo por ano. Entre 2011 e 2017, o ano de 2013 foi aquele em que cada habitante gerou menos resíduos: 440 quilogramas. São os habitantes de Celorico de Basto (Braga) que fazem menos lixo (260 kg). E os de Albufeira (Faro) os que fazem mais (1387 kg).