Covid-19. Morreu funcionária de lar em Reguengos de Monsaraz

A funcionária do lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva estava internada no hospital de Évora. Tinha 40 anos. É a sexta vítima mortal na instituição desde que surgiu um foco de covid-19.

,Saúde
Foto
É a primeira vítima mortal entre os funcionários do lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva Miguel Manso

Uma funcionária do lar de Reguengos de Monsaraz onde surgiu um foco de covid-19 morreu esta quarta-feira no hospital de Évora, onde estava internada, aumentando para seis o número de óbitos na instituição, informou o município.

A mulher, com cerca de 40 anos e que anteriormente tinha tido um teste positivo à covid-19, morreu “ao início da manhã na Unidade de Cuidados Intensivos covid-19 do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE)”, indicou a câmara municipal, em comunicado.

Trata-se da sexta vítima mortal na sequência do foco registado no lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS) e a primeira entre os funcionários da instituição que tiveram testes positivos ao novo coronavírus SARS-CoV-2. O concelho de Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, regista o maior surto de covid-19 do Alentejo, contabilizando seis mortes e 140 casos activos.

No comunicado, assinado pelo presidente da câmara e da Autoridade Municipal da Protecção Civil, José Calixto, é referido que a autarquia já transmitiu “sentidas condolências à família enlutada” e que a irá “acompanhar e apoiar num momento dramático”.

A primeira vítima mortal deste surto foi um homem com cerca de 70 anos (no dia 24), seguindo-se uma mulher de 92 anos (dia 25). Quanto aos idosos hospitalizados, no sábado, morreu uma mulher de 82 anos, a que se seguiram os óbitos de mais duas idosas na segunda-feira, uma de 91 anos, anunciado no próprio dia de manhã, e uma de 89 anos, cuja morte foi divulgada na terça-feira.

Quanto à situação epidemiológica no concelho de Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, segundo o comunicado desta quarta-feira, que tem dados até ao final de terça-feira, a câmara actualizou para 140 o número total de casos activos, mais cinco do que no dia anterior, todos relacionados com o surto detectado no dia 18 de Junho no lar da FMIVPS.

Deste total, registam-se 96 na FMIVPS, dos quais 23 entre os trabalhadores (mais um) e os restantes 73 (mais três) entre utentes, além de 44 na comunidade (mais um). “Estes números verificam-se num universo de cerca de 1330 testes com resultado conhecido” até terça-feira, dia em que “foram conhecidos resultados de aproximadamente 80 testes”, sublinhou o município, prevendo para quarta e quinta-feira a realização de “mais cerca de 200 testes”.

No HESE, adiantou, encontram-se internados 11 utentes do lar da FMIVPS, dos quais três estão nos cuidados intensivos, sendo que os profissionais que testaram positivo estão todos a recuperar nas suas residências.

Sugerir correcção