Governo admite voltar ao dever cívico de recolhimento em 19 freguesias

Travar a contaminação comunitária e optimizar a actuação dos serviços de saúde pública são os objectivos das novas regras aprovadas em Conselho de Ministros. Há mais poder para as forças de segurança e medidas especiais para 19 freguesias.

desconfinamento,covid19,coronavirus,area-metropolitana-lisboa,saude,politica,
Foto
O primeiro-ministro, António Costa, vai aprovar novas restrições para combater a covid-19 RODRIGO ANTUNES/Lusa

O Governo admite vir a repor o dever cívico de recolhimento domiciliário nas 19 freguesias que permanecerão em situação de calamidade, no Conselho de Ministros de hoje, soube o PÚBLICO. A prioridade é reforçar os meios de vigilância sobre as pessoas contaminadas com o vírus SARS-Cov-2, de modo a quebrar cadeias de transmissão e evitar o crescimento de novas contaminações de covid-19, por transmissão na comunidade. Para atingir esse objectivo, o Conselho de Ministros aprovará esta quinta-feira legislação específica que permitirá agir em três níveis: o da proximidade residencial em 19 freguesias da Área Metropolitana de Lisboa (AML), o de toda a AML e de todo o território nacional.