Covid-19 empurra mais 60 mil para o Banco Alimentar. Há nova campanha nos supermercados e na Net

Nova campanha de recolha de alimentos vai funcionar através de vales que podem ser pedidos nos supermercados e doações de bens na Internet.

campanha,banco-alimentar,alimentacao,sociedade,solidariedade,
Foto
Os alimentos recolhidos vão ser depois entregues às pessoas mais necessitadas de cada região Miguel Manso

Mais 60 mil pessoas recorrem ao Banco Alimentar Contra a Fome desde o início do surto de covid-19 em Portugal, em Março, anunciou a entidade, que lançou, esta quinta-feira, uma nova campanha de recolha de alimentos.

Para “ajudar a preencher o vazio que existe na mesa dos portugueses”, a acção, que dura até ao final do mês, será feita sem funcionários, por causa da pandemia, e através de donativos (vales nas caixas de supermercado ou pela Internet).

Sob o mote Ajude a preencher este vazio, a campanha deste ano do Banco Alimentar pretende sensibilizar os portugueses para as “muitas famílias que são afectadas por um cenário de carência alimentar todos os dias, uma situação agora agravada”.

“Às pessoas mais vulneráveis que, em resultado das medidas decretadas para conter a propagação da pandemia, ficaram privadas da assistência alimentar que normalmente recebem, vieram juntar-se mais cerca de 60 mil pessoas, vítimas da situação gerada por esta nova realidade que vivemos”, disse a presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, Isabel Jonet, em comunicado.

Os 21 bancos alimentares em actividade espalhados pelo continente e ilhas apelam aos portugueses para que contribuam através de vales de produtos (“Ajuda Vale”), que podem pedir nas caixas dos supermercados entre 21 e 31 de Maio. Cada vale tem um código de barras específico associado aos produtos que cada pessoa queira doar ao Banco Alimentar.

A campanha de recolha de alimentos também vai funcionar na Internet, durante o mesmo período.

Em 2019, os 21 Bancos Alimentares em Portugal distribuíram 23.382 toneladas de alimentos (com o valor estimado de 31,7 milhões de euros), num movimento médio de 93,5 toneladas por dia útil. Além disso, foram assistidas cerca de 2400 instituições e foram ainda entregues alimentos a perto de 380 mil pessoas com carências alimentares.

Texto editado por Pedro Rios

Sugerir correcção