Gastronomia

No Ponto: capinha d'Óbidos

Regularmente, a Fugas divulga um vídeo novo sobre um doce diferente.
Fotogaleria

Anabela Capinha herdou da sua bisavó a receita do bolo baptizado com o seu nome de família, uma receita que terá pelo menos 135 anos. Mantém o negócio e é a cara do estabelecimento, recebendo os clientes sempre com simpatia e boa disposição. A massa da capinha d’Óbidos é trabalhada à mão e leva ovos, limão, manteiga e especiarias variadas. Depois, os bolos cozem em forno a lenha.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Anabela refere que, no passado, este doce era um bolo dos casamentos naquela região. De facto, em toda a chamada zona oeste era costume a noiva, no seu casamento, oferecer um bolo em forma de ferradura (as receitas variam) aos convidados, tirando para si um pedaço que guardava. Seria para dar sorte ao seu casamento. Por nós, o melhor mesmo é comê-lo.

A Doçaria Portuguesa

Cristina Castro criou o projecto No Ponto para registar e dar a conhecer os doces do país. Tem vindo a publicar a colecção A Doçaria Portuguesa, "os mais completos livros sobre a história e actualidade dos doces de Portugal". A investigação para este trabalho levou a autora a viajar por todos os concelhos em busca de especialidades doceiras. A partir da oportunidade de ver como se faz, de falar com quem produz, de conhecer vidas, histórias e tradições associadas à doçaria, surgiram os vídeos que desvendam um pouco de cada doce. Regularmente, a Fugas revela um vídeo novo sobre um doce diferente.