Artes

Pedro Gadanho sai do MAAT em Junho

Fundação EDP estendeu o mandato do director por apenas mais nove meses.
Foto
PAULO PIMENTA

O arquitecto Pedro Gadanho vai deixar a direcção do Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, no final de Junho de 2019, anunciou esta segunda-feira a Fundação EDP, em comunicado. A fundação tinha a possibilidade de renovar o contrato com Gadanho, que termina agora em Setembro, por mais três anos. Porém, de acordo com o comunicado, "a Fundação EDP e o arquitecto Pedro Gadanho decidiram, por mútuo acordo, prolongar a colaboração do director do MAAT até ao dia de 30 de Junho de 2019", apenas mais nove meses. "Pedro Gadanho assegurará, assim, um período de transição durante o qual a Fundação EDP irá desenvolver os procedimentos necessários para a escolha do novo director do MAAT", acrescenta o mesmo comunicado. 

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

"Não vamos fazer mais comentários", disse ao PÚBLICO o director-geral da Fundação EDP, Miguel Coutinho, acrescentando apenas que o novo director poderá ser escolhido através de um concurso internacional. O período de transição permitirá também a Pedro Gadanho finalizar a programação já desenhada para 2019.

Ao PÚBLICO, o director do MAAT explicou que havia a possibilidade de uma renovação do contrato, que de acordo com o calendário teria lugar no final deste mês, mas as duas partes chegaram a esta solução. "Achámos que este acordo era o que fazia sentido para ambas as partes." Pedro Gadanho acredita que cumpriu a sua missão: "Estou muito contente com os resultados obtidos. E estou pronto para novos desafios."

Antes de assumir a direcção do MAAT, Pedro Gadanho foi curador do departamento de arquitectura do Museum of Modern Art (MoMA), em Nova Iorque, tendo assumido o cargo no museu de Lisboa a 1 de Outubro de 2015, um ano antes da inauguração do museu, por um período de três anos. O MAAT comemora em Outubro dois anos de abertura ao público.