Prado descobre que tem a cópia mais antiga de Mona Lisa

Foto
O pupilo terá pintado à medida que Leonardo pintava o original JEAN-PIERRE MULLER-JAVIER SORIANO/afp

Quadro do museu espanhol foi pintado ao mesmo tempo da obra original de Leonardo da Vinci

A Mona Lisatem uma "irmã gémea" em Espanha. O The Art Newspaperavançou com a história e o Museu do Prado, em Madrid, acabou por mostrar a obra de arte ao final do dia de ontem.

Foi nos armazéns do museu espanhol que foi descoberta uma cópia do famoso quadro de Leonardo da Vinci, que terá sido pintada na mesma altura que o original por um dos discípulos preferidos do pintor, Andrea Salai ou Francesco Melzi. Por ter sido pintada ao lado do mestre do renascimento italiano, na sua própria oficina, esta cópia é a mais antiga de sempre: ao que tudo indica, o artista foi pintando o quadro à medida que também Leonardo pintava a sua obra-prima, hoje exposta no Museu do Louvre, em Paris.

Segundo Joaquim Caetano, conservador do Museu Nacional de Arte Antiga, as cópias e reproduções de retratos eram uma prática habitual na época. "Por exemplo, os reis não queriam apenas um retrato, pediam sempre para ser multiplicado", explicou o historiador de arte. "Este é o caso do protótipo do retrato e as réplicas da oficina", continuou, acrescentando que era habitual o pintor partilhar o espaço e os trabalhos com os seus discípulos.

O mau estado de conservação escondia os verdadeiros traços da pintura, razão pela qual o Prado nunca lhe deu especial importância, apontando o quadro como mais uma cópia banal da obra-prima do Louvre. O restauro recuperou os traços e as cores originais, descobrindo por trás de um verniz negro uma paisagem, com o típico sfumatode Leonardo e em tudo idêntica à do quadro original.

Tanto os investigadores do Museu do Prado como do Museu do Louvre, segundo o Art Newspaper,já confirmaram a autenticidade da obra, considerando esta descoberta como uma das mais relevantes dos últimos tempos.

Beatriz Carderera Arnau, do gabinete de comunicação do museu espanhol, explicou ao PÚBLICO que o trabalho de restauro ainda não está completo, razão pela qual a descoberta ainda não tinha sido divulgada. O museu, disse Beatriz Carderera Arnau, deverá fazer a apresentação oficial da obra, com mais novidades, no final de Fevereiro. Na imprensa espanhola, a obra já é apelidada como a "Mona Lisa de Espanha" ou a "Mona LisaTwin [gémea]".

Com esta revelação, surgem agora novas teorias sobre a icónica musa de sorriso enigmático de Leonardo, uma vez que as cores amareladas da obra original contrastam com a cópia, que mostra agora uma modelo aparentemente mais jovem.

O Museu do Prado achava que a obra era pintada sobre tábua de carvalho, material raramente usado em Itália. Mas no ano passado, depois de alguns testes, ficou provado que a madeira usada era de nogueira, igual à verdadeira Mona Lisa. Em questões de tamanho, as duas obras não diferem muito, tendo a original 77cm por 53cm e a réplica 76cm por 57cm.

O Art Newspaper explica que Andrea Salai, um dos possíveis autores da cópia, era um dos amantes do pintor. "Sabe-se que Leonardo teve vários discípulos e, às vezes, eram mais do que isso, até amantes", explicou o historiador.

A cópia vai ser emprestada ao Museu do Louvre, onde integrará a exposição Leonardo"s Last Masterpiece: The Sainte Anne, que acontece de 29 de Março a 25 de Junho.