Empresa que ganhou Areeiro contestada

Datam deste mês e do mês passado as mais recentes reclamações relativas à empresa galega que ficou em primeiro lugar no concurso para a reconversão e exploração da piscina do Areeiro, na Av. de Roma.

A Sidecu, que detém os ginásios da marca Supera, reduziu a sua oferta de actividades no complexo desportivo Cachada, na Corunha, o que motivou protestos dos utentes. As autoridades regionais estão, porém, amarradas a um contrato de concessão que só expira em 2022. Segundo a imprensa local, como a Sidecu continua a cumprir os mínimos, não há condições para pôr fim à parceria público-privada. Por outro lado, conflitos laborais relacionados com o aumento de salários têm levado os funcionários a greves que, há um ano, obrigaram ao encerramento de vários destes espaços, nalguns casos durante perto de dois meses.

Desde aí que alguns municípios exigem à Sidecu que devolva aos milhares de frequentadores dos recintos a mensalidade que pagaram nessa altura, mas sem sucesso.

"São problemas pontuais num grupo que gere 25 centros desportivos em toda a Espanha", assegura o porta-voz dos ginásios Supera, Roberto Gómez. "Somos líderes neste modelo de gestão", prossegue. E se a redução de actividades em Cachada se explica por uma "redução da procura" do ginásio, já a não-devolução das mensalidades tem outra razão: "Há diferentes interpretações da lei". A.H.