Guimarães 2012 aposta na produção cinematográfica

Foto
Programa final em Novembro

Programa da Capital da Cultura destaca legado do evento para a cidade. Godard e Oliveira entre os cineastas envolvidos

Jean-Luc Godard e Manoel de Oliveira são dois dos mais de vinte cineastas convidados a filmar para a Guimarães 2012. A Capital Europeia da Cultura (CEC) aposta na criação de uma estrutura de produção cinematográfica na cidade, que vai manter-se em funcionamento após o certame. O legado do evento para a população local é a ideia central da primeira versão do programa cultural que ontem foi apresentado.

A CEC encomendou seis curtas-metragens que vão formar um único filme a estrear no próximo ano. Além de Godard e Oliveira, também o britânico Peter Greenaway vai trabalhar com a Guimarães 2012. Além disso, serão ainda produzidas dez primeiras obras de jovens cineastas, bem como filmes de cineastas portugueses. Para isso, será criada uma estrutura de produção audiovisual que vai continuar a funcionar na cidade para lá do final do evento.

Esse legado é uma das linhas centrais do programa cultural. "Optámos por uma forte ligação à cidade e incentivo à produção artística", destaca a presidente da estrutura organizadora, Cristina Azevedo. Em cada área artística será fundada uma estrutura que permanecerá em funcionamento depois do evento, como a plataforma das artes e a Orquestra Estúdio.

Essa aposta foi também sublinhada pela ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas: "O programa foi pensado para deixar lastro". A governante elogiou a "forma inteligente" como foi ontem apresentado e o facto de ir além das áreas artísticas tradicionais. "A Guimarães 2012 é uma forma de dizer à Europa que Guimarães é importante para o conjunto das cidades culturais europeias", acredita a ministra.

O programa definitivo será apresentado em Novembro. Apenas nessa altura serão conhecidos todos os artistas que vão actuar em Guimarães ou que vão colaborar com o evento. Ontem começou a ser levantado o véu, saltando à vista alguns nomes como o de Siza Vieira, que vai coordenar uma retrospectiva sobre a obra de Fernando Távora, realçando a ligação do arquitecto à reabilitação do centro histórico da cidade.

Também Peter Brook vai trabalhar com o Teatro Oficina, a única estrutura artística profissional da cidade. O encenador britânico vai permanecer em Guimarães em residência artística durante parte de 2012. As residências artísticas são umas das apostas da área das artes performativas e vão abranger ainda criadores da dança contemporânea e do novo circo.

Ontem foi também apresentada a equipa de embaixadores do evento, que inclui crianças de todas as freguesias do concelho, representantes das cidades europeias geminadas com Guimarães e sete personalidades nacionais como Manuel Sobrinho Simões, Dalila Rodrigues e José Barata Moura.