PS e PSD querem mesmo pôr deputados a beber água da torneira na Assembleia da República

O Conselho Administração do Parlamento chumbou a proposta inicial, alegando falta de higiene. Mas os socialistas voltam à carga

Mesmo depois de ter recebido um parecer negativo por parte da gestão da Assembleia da República, o PS está a avaliar a possibilidade de agendar um projecto de lei que institua o consumo de água da torneira no Parlamento. Se avançar, a ideia de trocar a água engarrafada pela da torneira tem pernas para andar, já que o PSD é favorável.

A Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) pediu explicações à secretária-geral da Assembleia por ter rejeitado a água da torneira no Parlamento por "falta de higiene".

O PS está a ponderar trazer a plenário o projecto que determina o fim da água engarrafada no Parlamento e impõe o consumo da água da torneira, disse ao PÚBLICO a vice-presidente da bancada, Ana Catarina Mendes. O assunto foi levado ao conselho de administração, através de um projecto de deliberação do PS, mas levou um parecer negativo da secretária-geral da Assembleia da República, Adelina Sá Carvalho, que alegou "falta de hi- giene" na água canalizada e questões práticas, isto é, a manutenção e a distribuição de jarros de água. Foi ainda alegado que as garrafas utilizadas são de "plástico 100 por cento reciclável".

Marcos Sá, o deputado do PS promotor da iniciativa, arrasa o parecer da secretária-geral: "Do ponto de vista ambiental é infelizmente uma verdadeira aberração, e tenta pôr em causa o conteúdo político de uma proposta do PS que certamente não fará parte das funções da secretária-geral". Marcos Sá lembra que no próprio Conselho de Ministros a água disponibilizada é da torneira.

Apesar de ter aprovado o parecer negativo, a administração pondera outras soluções, designadamente a de colocar uma máquina de distribuição de água em cada comissão parlamentar. Na cantina do Parlamento, a água é servida em jarros e é da torneira.

Se o PS vier a avançar com a proposta de utilizar a água canalizada terá o apoio do PSD, disse ontem ao PÚBLICO o deputado coordenador do ambiente, António Leitão Amaro. "É uma boa ideia e é apenas um dos exemplos em que o Parlamento pode ser mais ecológico. Confiamos na qualidade da água consumida em Portugal e no bom trabalho que tem sido feito pela ERSAR", afirmou.

A própria ERSAR estranhou as notícias vindas a público sobre a alegada falta de higiene na água canalizada do Parlamento e enviou uma carta dirigida à secretária-geral a pedir "as análises e os factos que sustentem" tais afirmações. No documento a que o PÚBLICO teve acesso, a reguladora também garante que a água canalizada consumida em Lisboa é "de excelente qualidade".