DESTAQUE

Quantos alunos portugueses participaram no PISA?

Participaram 6298 alunos, de 212 escolas portuguesas.

Como foram seleccionados?

De maneira aleatória, por uma empresa paga pela OCDE. O Ministério da Educação (ME) forneceu uma base de dados com todas as escolas do ensino básico e secundário, frequentadas por alunos de 15 anos.

Como foram escolhidas as escolas?

Mais uma vez, de maneira aleatória, tendo em conta critérios de estratificação. Na amostra, estão representadas escolas grandes, pequenas, do litoral, do interior, públicas e privadas. A amostra tem que ser representativa da realidade do país.

Quem são os alunos? Dentro de cada escola, o programa de computador da OCDE selecciona os estudantes que têm 15 anos, independentemente do ano escolar que frequentam (do 7.º ao 11.º anos). Em 2009, a maioria dos alunos estava no 10.º ano (60,4 por cento, mais dez por cento do que em 2006). A probabilidade de juntar só os bons alunos "é mínima", garante fonte do ME.

Os alunos podem recusar-se a fazer os testes?

Sim, os pais são informados e podem não dar autorização. Os alunos podem ser excluídos pela escola caso tenham necessidades educativas especiais ou se tiverem pouco domínio da língua portuguesa (por exemplo, os imigrantes). A média da OCDE para os casos de exclusão é de 3,32 por cento, a portuguesa é de 1,5.

Como são feitos os testes?

Os itens começam a ser escolhidos com dois anos de antecedência e são analisados pelos países.

Quem traduz as provas?

Cada país é responsável pela tradução. A OCDE corrige.

Quem vigia os alunos durante a realização dos testes?

O Gabinete de Avaliação Externa (Gave) do ME contrata professores, os aplicadores, que recebem formação da OCDE. Em cada escola, é escolhido um coordenador que faz a ligação com o aplicador.

Quando é que os testes são feitos?

No dia combinado. O aplicador chega com antecedência e, em cima de cada mesa da sala de aula, coloca um papel com o nome de um aluno. É a OCDE que escolhe os lugares onde cada um se senta. Há 13 testes diferentes, para que ninguém copie.

Quanto tempo demora a prova? Duas horas. Os alunos têm direito a um intervalo, passado dentro da sala, com o aplicador.

Podem pedir ajuda? Não. Nos primeiros dez minutos, o aplicador lê as regras e esclarece dúvidas. Não volta a falar com os alunos.

Alguém supervisiona o aplicador?

Sim, a OCDE envia um monitor que visita as escolas para verificar se os procedimentos estão em conformidade com o guião da OCDE, se os materiais são fidedignos e se os alunos correspondem à lista enviada. Como são corrigidas as provas?

Durante dois meses, no Gave há codificadores, nome dado aos professores que corrigem as provas porque codificam os resultados dos alunos. Também estes recebem formação da OCDE, que pede ao Gave alguns testes para confirmar que a codificação está correcta.

Quem paga os testes PISA? Cada país paga uma quota para poder participar no PISA. O ME não divulga o custo de todo este processo, feito de três em três anos. Bárbara Wong