Assembleia Municipal da Batalha aprova moção em defesa do mosteiro

Foto
O mosteiro sofre com a poluição rodoviária paulo ricca

A prevista imposição de portagens para a variante à Batalha levou a assembleia municipal a aprovar, por unanimidade, uma moção pela preservação e valorização do Mosteiro da Batalha. O objectivo é alertar para a fraca atracção do novo troço em relação ao Itinerário Complementar 2, caso este venha mesmo a ser portajado, e solicitar ao Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (Igespar) que elabore rapidamente estudos que apontem os "reais" problemas do monumento.

Segundo o documento, apresentado pelo deputado Luís Miguel Ferraz, as portagens previstas para a zona vão "comprometer, largamente, o objectivo da redução do tráfego rodoviário no actual corredor do IC2, designadamente no que toca a veículos pesados de mercadorias, geradores de impacto no monumento". No entanto, o subscritor da moção admite "aceitar contrariado" a imposição das portagens, devido à situação económica do país, mas apontou como solução "haver um desconto para os veículos pesados". "Sabemos que a nova via não é fundamental para a população local, porque felizmente tem outras acessibilidades. Mas se fosse dado um desconto nas portagens aos veículos pesados, haveria com certeza um menor fluxo no corredor do IC2", disse ao PÚBLICO Luís Miguel Ferraz.

No entender do deputado municipal, é também fundamental que o Igespar "finalize, com carácter de urgência, os estudos necessários de avaliação dos impactos gerados pelos gases poluentes libertados e a trepidação causada pelos milhares de veículos que diariamente transitam junto ao monumento, o que tem motivado inúmeras recomendações de especialistas que têm realçado as fragilidades do mosteiro". "É verdade que o mosteiro está longe de qualquer ruptura, mas todos os dias a terra treme e há vitrais partidos. Se não se cuidar do monumento, essa ruptura poderá vir acontecer", acrescentou.

Lombas e semáforos

A moção define ainda a necessidade de que as candidaturas aprovadas no âmbito Quadro de Referência Estratégico Nacional à rede de mosteiros património da Humanidade, que envolvem os monumentos da Batalha, Alcobaça e Tomar, "considerem prioritariamente acções de valorização, salvaguarda e preservação do monumento". Luís Miguel Ferraz informou que a Estradas de Portugal já entrou em contacto com a autarquia para solucionar o congestionamento automóvel do IC2 (com a criação de lombas, redução das três vias de rodagem para duas e a colocação de semáforos) e acelerar as obras da nova variante.

Este documento irá ser entregue ao Presidente da República e primeiro-ministro, bem como aos grupos parlamentares, governador civil de Leiria, ministros das Obras Públicas, Transportes e Comunicações e Cultura, entre outras entidades.