Câmara de Viseu não instala ecrã gigante durante o Mundial para evitar absentismo

Jogos de Portugal coincidem com o horário laboral, diz Fernando Ruas
Foto
Jogos de Portugal coincidem com o horário laboral, diz Fernando Ruas

A Câmara de Viseu decidiu não promover a transmissão em directo dos jogos do Mundial de futebol num ecrã gigante por entender que poderia estar a incentivar o absentismo ao trabalho, revelou ontem o seu presidente. Fernando Ruas disse à Lusa que, na base da decisão, esteve o horário dos jogos, uma vez que muitas partidas, nomeadamente as de Portugal, acontecem às 12h30 e às 15h.

"São horas de trabalho e nós achámos que, eventualmente, alugar um ecrã era fomentar as saídas do trabalho", justificou, garantindo que esta foi uma decisão muito ponderada. Fernando Ruas acrescentou que o executivo não achou que "o horário fosse de molde a convidar as pessoas" a deslocarem-se aos locais de transmissão. Como poderia "alugar um ecrã e depois aliciar as pessoas, os funcionários, os trabalhadores de outras empresas e instituições a irem ver a bola?" - questionou. O autarca esclareceu que o custo do aluguer do ecrã gigante não foi "o motivo determinante" de qualquer decisão.

Fernando Ruas, que é também o líder da Associação Nacional de Municípios Portugueses, disse que a de- cisão foi tomada sem saber o que pretendem fazer outras autarquias. E assegurou que não pretendeu influenciá-las com a sua decisão.

Em Viseu, quem quiser assistir aos jogos do Mundial de Futebol em ecrã gigante pode fazê-lo somente no terraço do Palácio do Gelo Shopping.