Morreu "o entertainer perfeito"

Foto

Michael Jackson preparava-se em Los Angeles para a sua digressão de regresso e sucumbiu a uma falha cardíaca e paragem respiratória. Thriller, Bad, Billie Jean: O rei está morto.

Michael Jackson, tão conhecido pelo brilhantismo da carreira quanto pelos escândalos e problemas com a justiça nos últimos anos, morreu ontem aos 50 anos e em vésperas da sua nova digressão de 50 concertos. Em menos de uma hora, depois de se ter sabido que fora hospitalizado, primeiro centenas e depois milhares de pessoas juntaram-se em torno do centro médico da Universidade de Los Angeles, Califórnia (UCLA). O cantor sofreu uma paragem cardíaca e falha respiratória.Jackson estava em sua casa, no bairro de Bel Air, nas imediações de Sunset Boulevard, quando sofreu um colapso. Os paramédicos foram chamados e chegaram à casa do cantor às 12h26 locais (21h26 em Lisboa). Depois de ter chegado ao hospital (a seis minutos de sua casa), Jackson entrou em coma e estava já acompanhado pela família e amigos. De acordo com fontes municipais e legais citadas pelo Los Angeles Times, Jackson já terá chegado em coma ao centro médico. A polícia está a investigar as circunstâncias da morte do cantor, mas considera não haver sinais de acto ilícito. À hora de fecho desta edição, as causas da morte não tinham sido oficialmente confirmadas.
Após as primeiras notícias, o Twitter, a blogosfera e o universo noticioso reflectiam o fascínio pela figura do rei da pop: mensagens de pesar, comentários jocosos e dúvidas. Para o seu produtor Quincy Jones, Jackson era "o entertainer perfeito".
Michael Jackson é uma figura incontornável de três momentos históricos da cultura popular. Foi a criança prodígio herdeira das tradições da Motown nos Jackson Five. Foi o rei da pop e detentor do muitas vezes eleito Melhor Álbum de Sempre com Thriller (104 milhões de cópias vendidas, recorde), durante a prosperidade dos anos 1980. E foi, nas últimas duas décadas, o produto e deformação da obsessão dos média pelas celebridades - o homem acusado pela primeira vez de abuso sexual de menores em 1993 e absolvido em 2005, rodeado de rumores sobre cirurgias plásticas e problemas de saúde; e o pai de três crianças conhecido como "Wacko Jacko" pelo seu comportamento excêntrico. Há 12 anos que não completava uma digressão, pelo que This Is It!, que já estava completamente esgotada, era aguardada com grande curiosidade.
Os pais de Jackson, Joseph Walter e Katherine Esther tiveram sete filhos, dos quais cinco rapazes, entre os quais um Michael Joe de apenas seis anos, nascido a 29 de Agosto de 1958 que formaram o grupo Jackson Five. No final da década de 1960 já estavam a gravar para a Motown e em 1972, Michael, o miúdo da voz maviosa, penteado afro e sorriso contagiante, lançava o primeiro álbum. Mas apenas uma década depois, Michael Jackson era coroado no Olimpo da música popular através do seu feito máximo: Thriller, o veículo para o single homónimo, para Billie Jean, para Beat It ou The Girl Is Mine. No total, sete singles no top 10 dos mais vendidos, Depois veio Bad (1987) e com ele Smooth Criminal, I Just Can't Stop Loving You ou The Way You Make Me Feel. Mais dezenas de milhões de discos vendidos e a estrela era já rei, a sua imagem era copiada pelo mundo inteiro e confirmava-se o culto que, até hoje, ainda resiste junto dos fãs, indiferentes ao declínio dos últimos 20 anos. Depois vieram Dangerous (1991, 32 milhões de cópias vendidas), HIStory (1995, 20 milhões) e Invincible (2001, 10 milhões)
Autor de um passo de dança único e inconfundível, mesmo 26 anos depois, deslizava com os seus mocassins a fazer o moonwalk, estreado num programa de TV da NBC. Trabalhou e viveu com outros ícones - Martin Scorsese realizou o vídeo de Bad, casou com a filha do rei, Elvis Presley, Lisa-Marie Presley, Vincent Price participou no vídeo de Thriller, escreveu, com Lionel Richie, o single beneficente We Are The World (1985), e trabalhou com Quincy Jones, Paul McCartney e Stevie Wonder, entre outros.
Nos últimos anos Jackson quase desapareceu da vida pública. Perdeu parte da sua fortuna devido à crise do subprime e a sua saúde parecia deteriorar-se rapidamente. Ao longo da sua vida, Jackson terá vendido cerca de 750 milhões de discos. Mas o papel, a tinta e as páginas de Internet que preencheu com notícias, revelações ou divagações sobre o seu sucesso, o seu génio musical mas também a sua excentricidade e estilo de vida, são incomensuráveis.