Museu de Cinema de Melgaço vai alargar instalações ao velho Cinema Pelicano, doado por Jean Loup Passek

a É a continuação do "milagre" com que um dia sonhou o francês Jean Loup Passek, crítico, historiador e programador de cinema e, principalmente, coleccionador bulímico de materiais relativos à história (e pré-história) da sétima arte.Pouco mais de dois anos após ter visto ser inaugurado em Melgaço um museu com o seu nome, e com parte da sua extensa colecção, Passek decidiu comprar o edifício do velho Cinema Pelicano, que se encontra em ruínas, e doá-lo à autarquia desta pequena vila do Alto Minho para que ela o recupere e transforme num espaço museológico complementar do já existente.
Os termos da doação e o programa para a reconstrução do edifício foram estabelecidos este fim-de-semana entre Passek e o presidente da câmara, Rui Solheiro. O velho Pelicano vai acolher, nos seus três pisos, um auditório, uma biblioteca, um arquivo e principalmente vários espaços para exposições.
"Foi uma sorte, e mais uma agradável surpresa para nós, esta decisão de Jean Loup Passek doar o velho Pelicano a Melgaço", disse ao PÚBLICO Rui Solheiro. O autarca acrescentou que o gesto "vem também permitir resolver um problema urbanístico", já que o Pelicano, desactivado na década de 1970, está totalmente em ruínas mantendo apenas as paredes. Jean Loup Passek justificou a sua decisão de comprar e doar o Pelicano a Melgaço - terra que conheceu também na década de 1970, por intermédio de uma família de emigrantes que conheceu em Paris e de quem se tornou amigo - novamente como "um gesto de amizade e de afectividade" para com Portugal e para
com aquela terra. Depois da formalização da doação, a câmara vai lançar um concurso público para o projecto do novo espaço museológico e, simultaneamente, candidatar a obra - que deverá orçar "entre milhão e meio e dois milhões de euros", calcula Rui Solheiro - a verbas comunitárias.
Jean Loup Passek vê o alargamento da sua colecção para o Pelicano como mais um passo na sua "ideia muito poética" de fazer um museu numa pequena terra do país que adoptou também como seu.
Actualmente, o Museu de Cinema de Melgaço apresenta, como exposição temporária, cartazes, fotografias e projecções de filmes em DVD sobre a idade de ouro da comédia cinematográfica, de Chaplin aos irmãos Marx, de Buster Keaton a Laurel and Hardy (Bucha & Estica).
Passek prevê apresentar na próxima Primavera uma exposição sobre cinema polaco e cubano, cinematografias de que possui uma colecção de cartazes "invulgarmente belos" e que são bons exemplos do tempo em que "à arte do cinema estavam associados grandes artistas da ilustração e do design", nota o coleccionador.