A4 chega hoje ao centro de Matosinhos

Revolução viária no concelho inclui nova ligação ao aeroporto

Jorge Marmelo

Abre hoje ao trânsito o novo troço da A4 entre os nós de Águas Santas e de Sendim, uma obra integrada na Scut do Grande Porto e executada pela Aenor. Com cerca de oito quilómetros de extensão, a via reveste-se de particular importância para as movimentações internas no concelho de Matosinhos - atravessando as freguesias de Matosinhos, Senhora da Hora, Guifões, Custóias, Leça do Balio e S. Mamede de Infesta -, mas contribuirá sobretudo para descongestionar o trânsito na A3, na VCI, no IC1 e no IC24. Incluindo a ligação ao aeroporto, com cerca de dois quilómetros de extensão, a obra custou perto de cem milhões de euros e não terá, para já, qualquer portagem.Na prática, o centro do concelho de Matosinhos (de onde saía já uma ligação ao nó de Sendim) passa a estar ligado por auto-estrada aos principais eixos viários da região. Para além da ligação directa à A3 e à A4, no nó de Águas Santas, e à A1, pela VCI, o novo troço assegura ainda uma ligação directa (VRI, de Via Regional Interior) entre o nó de Custóias e o nó do Aeroporto do IC24, cujas obras de alargamento para 3x3 vias na faixa de rodagem estão também concluídas.
Para o trânsito que, vindo do interior do país, se dirige para o Porto de Leixões, para a refinaria da Petrogal ou para os terminais TIR do Freixieiro, o novo troço representa um enorme ganho de tempo, uma vez que deixa de ser necessário entrar na A3 para aceder ao IC24 e à VCI do Porto. A partir de agora, este enorme volume de trânsito passa a poder seguir directamente pela A4, de onde é encaminhado para a zona do aeroporto e para o Porto de Leixões, que ganhou também uma via interna de ligação (pronta há cerca de dois anos), deixando o trânsito pesado que ali se dirige de ter que utilizar a rede viária urbana. Para além dos nós já referidos, a A4 passa também a dispor de um nó de ligação à Via Norte.
O novo conjunto de vias atravessa zonas densamente povoadas do concelho de Matosinhos, o que tornou a obra mais complexa do ponto de vista técnico, obrigando à instalação de barreiras acústicas e visuais e à construção de enormes taludes, para além de ter implicado a reconstrução de alguns equipamentos, como o campo de futebol de Custóias.
Esta é a última obra integrada na concessão Scut do Grande Porto, na qual foram investidos 547 milhões de euros para ligar por auto-estrada os concelhos de Matosinhos, Maia, Valongo, Paços de Ferreira e Lousada. São, ao todo, 54 quilómetros de auto-estradas concluídos nos últimos 12 meses. Por executar está apenas a maior parte do IC24, o qual, futuramente, descreverá um anel exterior a todo o sistema, entre Espinho e Matosinhos.