Sgt Pepper"s volta a ser o n.º 1

Sgt Pepper"s Lonely Hearts Club Band, o mítico disco que os Beatles lançaram em 1967, volta a ser considerado pelo público britânico o melhor n.º 1 de sempre no top de álbuns. Na votação, organizada para celebrar os 50 anos da tabela britânica, os Beatles têm mais três registos entre os dez primeiros: Revolver em sexto, Abbey Road em oitavo e The Beatles (conhecido como The White Album) em décimo. "[Sgt Pepper"s] revolucionou a música e aquilo que esperamos de um álbum", disse à BBC on line Simon Mayo, da Radio 2, que apresentou a lista dos cem álbuns mais votados. Apenas 201 votos separam Sgt Pepper"s do segundo classificado, Thriller, de Michael Jackson. Joshua Tree (1987), da banda irlandesa U2, que ocupa a terceira posição, é o único álbum do top 10 lançado nos últimos 20 anos. O resto dos lugares foram ocupados por títulos de meados da década de 1970: Rumours, de Fleetwood Mac, é o quarto; Wish You Were Here, dos Pink Floyd, ficou em quinto; Bridge Over Troubled Water, de Simon & Garfunkel, em sétimo; e A Night at the Opera, dos Queen, em nono. Mais de 220 mil pessoas votaram numa lista composta por 787 entradas. Os álbuns mais recentes entre os 100 primeiros foram X&Y (Coldplay) e Demon Days (Gorillaz), que ocuparam o n.º 1 do top de álbuns britânico em Junho de 2005.

A INTERVENÇÃO

Especialistas restauram cópia do Corão com 700 anos

Técnicos de conservação chineses começaram esta semana a restaurar uma cópia manuscrita do Corão com 700 anos, noticiou ontem o diário espanhol El Mundo, citando uma agência de notícias de Pequim. A obra, o exemplar mais antigo do livro sagrado dos muçulmanos que se conhece na China, é composta por dois volumes de 867 páginas e está escrita em árabe. Os especialistas acreditam que é originária de Samarcanda, no Uzbequistão, e que foi concluída antes do século XIII. "Os livros apresentam sérios danos e correm o risco de apodrecer", disse um dos responsáveis pelo restauro. "Limparemos as manchas e os restos de bolor, arranjaremos as páginas que apresentem falhas." O restauro deverá demorar um mês e custar mais de 45 mil euros. Até aqui, a obra estava guardada nos cofres da mesquita de Jiezi, na província de Qinghai. Depois dos trabalhos ficará em exposição.