Canal Viver/Vivir desaparece da TV Cabo no fim do mês

Saída justificada
pela falta de qualidade dos conteúdos e fracas audiências

O canal de origem espanhola Viver/Vivir vai desaparecer da grelha da TV Cabo dentro de uma semana. O contrato entre a operadora e o canal termina a 30 de Junho e não será renovado. As razões são as mesmas que as adiantadas para o final da SIC Mulher em Dezembro, e para outros canais que deverão ser suspensos nos próximos meses: audiências baixas (muito baixas no caso do Viver) e conteúdos com fraca qualidade.O canal está na grelha da TV Cabo desde 1998, ocupando actualmente a posição 13 no serviço digital e a 18 no serviço analógico por cabo. É também distribuído por quase todas as outras empresas operadoras de televisão por cabo, como a Cabovisão, a Bragatel e a Pluricanal. Contactadas pelo PÚBLICO, estas afirmaram não terem qualquer indicação de que o canal seja suspenso na sexta-feira da próxima semana. A TVTEL não disponibiliza o Viver/Vivir na sua lista de canais.
Parte da programação do Viver/Vivir é espanhola, sendo dobrada em português ou brasileiro. Mas há também vários programas fornecidos pela empresa de produção do arquitecto Tomás Taveira. Da grelha do canal fazem parte, por exemplo, programas de produção nacional como Mais Noite, A Minha Cidade, Combatentes do Ultramar, Modalidades (judo, golf, natação, ténis, atletismo), Plano de Negócios (sobre empresas e empresários de sucesso). Há também programas em colaboração com Espanha, como o Festa Brava, Eixo Atlântico e Península Ibérica. A que se somam espaços de televendas ou até mesmo um programa chamado Jireh, sobre um stand de automóveis nortenho.
Para o lugar do Viver/Vivir na grelha da TV Cabo está projectado o futuro Porto Canal, cuja estreia esteve programada para esta noite, mas acabou por ser adiada para depois de 15 de Setembro por falta da autorização e licença da Entidade Reguladora para a Comunicação Social, que se encontra ainda a analisar o processo.

XXL em vez do ÍntimoNas madrugadas entre quinta-feira e sábado, o canal é substituído pelo Íntimo, que emite apenas programação para adultos. Desde há três anos, a emissão do Íntimo passou a ser codificada (mas não pago) na distribuição por cabo por imposição da nova Lei da Televisão. Na distribuição digital, através de satélite, não houve qualquer modificação, estando essa codificação dependente dos utilizadores. Com o final do Viver/Vivir, a TV Cabo vai lançar, logo no dia 1, o XXL, canal de conteúdos para adultos, apenas no serviço digital (posição 93), que irá emitir nas madrugadas de sexta-feira, sábado e domingo.
De acordo a Marktest, na semana de 12 a 18 de Junho, o Viver/Vivir ficou em 28.º lugar nas audiências dos canais por cabo, com um share de 0,9 por cento, e um rating de 1700 telespectadores - acima do Lusomundo Gallery (pago) e ligeiramente abaixo, por exemplo, da RTP África e da TV Record.
O canal sofre de um duplo problema de imagem: tecnicamente, por vezes parece feito por vídeo amador; e está-lhe colada a fama dos conteúdos para adultos.

Sugerir correcção