Desmascarada verdadeira identidade do escritor JT Leroy

Já se sabia que o misterioso escritor americano JT Leroy não era quem dizia ser, só não se sabia quem era. Há cerca de um mês, os fãs do autor, um antigo prostituto, toxicodependente e seropositivo que se tornou uma personagem de culto, pasmaram ao descobrir que, afinal, Leroy fora reconhecido pelos mais próximos na fotografia de uma mulher. E ontem, o mistério foi finalmente desvendado, quando o antigo companheiro da escritora de São Francisco Laura Albert confessou ter acompanhado, durante anos, a "invenção" de JT Leroy pela sua mulher. "Acabou-se o mistério. JT Leroy não existe", exclamou ao New York Times Geoffrey Knoop, um músico de 39 anos que viveu com Laura Albert até Dezembro passado. "Quero pedir desculpa a todas as pessoas que saíram enganadas e magoadas com esta história. E quero confessar que nunca esperei que as coisas chegassem a este ponto", acrescentou.
A revelação não foi, por enquanto, confirmada por Laura Albert, que desligou o telefone depois de começarem a chover chamadas de jornalistas. O seu advogado, Peter Cane, também se recusou a fazer quaisquer comentários à versão avançada por Knoop. "JT Leroy tornou-se demasiado pessoal para ela. Não era um simples pseudónimo; era ela", explicou o seu antigo companheiro.
Segundo a versão contada por Knoop, a invenção de JT Leroy remonta a 1996, quando Laura, confrontada com enormes dificuldades em entrar no meio literário, procurou o escritor gay Dennis Cooper. Receando não despertar o seu interesse, "transformou-se" num adolescente com uma história de fugas, abusos, drogas e prostituição, cujo nome de guerra era Terminator.
Na conturbada história de vida de JT Leroy, Laura Albert sempre foi uma das peças fundamentais. Na "biografia oficial" do escritor, Laura Albert e o seu então marido Geoffrey Knoop foram o casal que o salvou das ruas e o acolheu quase como um filho: com sonhos de grandeza, JT tinha fugido de uma oprimida existência no estado rural da Virgínia Ocidental em busca da excitação da vida de São Francisco, mas apenas tinha encontrado mais miséria humana, acabando por se perder no mundo da prostituição masculina e da droga.
A sua história pessoal, e sobretudo a escrita baseada nas suas supostas experiências, tornaram-se um inesperado sucesso, atraindo a atenção de outros importantes autores e celebridades do mundo do cinema e dos espectáculos - até hoje foram publicados três obras de JT Leroy, todas elas best-sellers, e pelo menos duas já estão a ser adaptadas ao cinema. Rita Siza, Washington