José Mário Branco você é um cantor de intervenção?

Dezasseis canções, quase 78 minutos de música e um poema escondido, no final, à laia de posfácio: assim se apresenta José Mário Branco no seu novo registo de estúdio, treze nos passados sobre "Correspondências". Numa longa entrevista, em sua casa, o músico, cantor, compositor, arranjador e mestre noutros ofícios que com a música se relacionam, fala sobre o que as canções dizem ou apenas prenunciam, explicando depois a música que cirurgicamente as envolve. Uma atmosfera que se inicia densa, com uma citação explícita de "A Noite" e que se despede com um corte abrupto de som e um poema iluminado, com este aparte: "Obrigado, Sophia." O resultado vai ser mostrado ao vivo, em dois concertos únicos, nos coliseus do Porto (1 de Maio) e Lisboa (7 de Maio).