Jornalistas acusam anterior direcção do "DN" de revelar fonte a ministro

A anterior direcção do "Diário de Notícias", liderada por Mário Bettencourt Resendes, foi acusada por dois jornalistas de, em 1999, ter revelado a fonte da notícia sobre uma busca policial às instalações da Universidade Moderna. A fonte, identificada como sendo o então director da Polícia Judiciária (PJ), Fernando Negrão, veio depois a ser demitido.A acusação foi feita pelos jornalistas Margarida Maria, actualmente desempregada, e Rudolfo Rebelo, que permanece no "Diário de Notícias", no programa Clube de Jornalistas, emitido domingo à noite no canal 2. A revelação da fonte, adiantaram, teria acontecido num encontro da direcção do jornal com o então ministro da Justiça, o socialista Vera Jardim."É nossa convicção profunda que a haver revelação de fontes ela aconteceu na reunião entre dois elementos da direcção do 'DN' e o ministro Vera Jardim", declarou Rudolfo Rebelo no programa e reafirmou-o ontem ao PÚBLICO.A notícia que deu origem ao caso foi publicada a 10 de Março de 1999 e dava conta da iminência de buscas policiais à Moderna. Margarida Maria contou que nessa manhã o então Procurador-Geral da República, Cunha Rodrigues, lhe telefonou considerando falsa a informação. Estremunhada disse tal era impossível já que ela lhe fora dada por Fernando Negrão. No dia seguinte, num encontro entre o Procurador, os dois jornalistas e o director-adjunto do jornal, foi discutida a possibilidade de o jornal revelar a fonte - Margarida Maria era a favor, a direcção não.No dia 16, contaram no programa, o ministro Vera Jardim chamou ao seu gabinete António Ribeiro Ferreira (então director-adjunto) e Mário Bettencourt Resendes (director) para uma reunião. Logo a seguir, falou com o director-geral da PJ, demitindo-o. Nesse mesmo dia, o ministro terá informado o director do "DN" do resultado do encontro com Fernando Negrão. Resendes passou então a informação aos dois jornalistas, que escreveram a notícia que foi manchete no dia seguinte, descreveu Margarida Maria. "Portanto, a direcção do 'DN' estava obviamente envolvida neste processo", frisou."O problema levantou-se quando a direcção do 'DN' decidiu não revelar a fonte nas páginas do jornal. E nunca soubemos por que é que não o fez", disse ao PÚBLICO Rudolfo Rebelo.Questionados sobre o facto de só agora tornarem público um caso passado há cinco anos, os jornalistas afirmam que nunca foram interpelados sobre o assunto por profissionais da informação. "Se naquela altura alguém me tivesse perguntado eu teria contado", assegura Margarida Maria. Fernando Negrão negou sempre que tenha sido ele a divulgar a informação sobre as buscas à Moderna.Contactado pelo PÚBLICO, Mário Bettencourt Resendes afirmou não ter visto o Clube dos Jornalistas, mas contestou as afirmações nele proferidas. "Nem eu nem nenhum colega meu do 'DN', na minha presença, procedeu a qualquer revelação de fontes", disse. O ex-director - que ontem deixou de figurar no cabeçalho do jornal e ocupa agora as funções de director-geral de publicações - confirmou o encontro com Vera Jardim, mas diz que apenas foi discutido o caso Moderna e a cobertura que o "Diário de Notícias" estava a fazer e nega que tenha havido revelação da fonte.António Ribeiro Ferreira afirma também que as declarações dos jornalistas "não correspondem à realidade" e considera mesmo que não há qualquer acusação aos antigos directores do diário. "É uma interpretação errada de uma sequência de factos", disse, aludindo ao encontro com Vera Jardim, à informação sobre a demissão do director da PJ e à manchete que disso deu conta no dia seguinte. Mesmo negando ter havido revelação da fonte, o ex-director adjunto disse que isso podia ter acontecido, uma vez que o Código Deontológico dos Jornalistas o permite quando os profissionais de informação são utilizados para canalizar informações falsas. Ribeiro Ferreira realça ainda o "trabalho espectacular" dos dois jornalistas que "arriscaram a vida neste processo de investigação".O novo conselho de redacção do jornal, recém-eleito, tem uma reunião marcada para a próxima quinta-feira e o caso deverá ser um dos assuntos em agenda.