eBay compra serviço de pagamentos PayPal

Nem todas as empresas da Internet andam no "buraco", felizmente. E agora, a eBay, o maior serviço mundial de leilões na Internet, anunciou na passada segunda-feira um acordo para a aquisição da PayPal, a empresa que detém o mais usado serviço de pagamentos "on-line", seja de bens arrematados em leilões seja noutras vertentes do comércio electrónico. A eBay pagará 1500 milhões de dólares aos accionistas da PayPal sob a forma de acções suas, com base numa avaliação de 23,61 dólares por cada título da adquirida. Este montante comporta uma mais-valia de 18 por cento sobre o valor a que as acções da PayPal estavam a ser transaccionadas no Nasdaq no fecho da sessão da sexta-feira imediatamente anterior. Outra coisa não seria de esperar num acordo entre duas das poucas empresas da Internet cujas acções têm resistido galhardamente à erosão arrasadora das valorizações bolsistas no sector. Na mesma sexta-feira, por exemplo, as acções da eBay fecharam a 60,55 dólares, valor dez vezes superior ao das acções de certas empresas de tecnologias de informação (incluindo fabricantes de equipamentos e fornecedores de soluções) que disputam a liderança nos seus segmentos."A eBay e a PayPal têm papéis complementares", declarou Meg Whitman, presidente e "chief executive officer" (CEO) da empresa de leilões "on-line", citada pelo "Wall Street Journal". "Qualquer das duas entidades criam melhores condições para que as pessoas comprem e vendam 'on-line'. Juntos, poderemos melhorar a experiência dos utilizadores e tornar as trocas 'on-line' mais atraentes. Poderemos também captar maior valor nas oportunidades do E-comércio que se verifiquem tanto no âmbito do nosso 'site' como fora dele."Os serviços de pagamento electrónico têm-se mostrado de importância vital para o crescimento e consolidação do E-comércio, não só por razões de custo como por motivos de segurança e de fiabilidade - pois as pessoas, justificadamente, não gostam de andar a enviar os seus números e códigos de cartões de crédito pela Internet, receosos de serem alvo de fraudes e apropriações indevidas, muitas das quais só são detectadas ao fim de mais de um mês, quando chega o resumo mensal dos movimentos.A estes aspectos soma-se ainda o facto de, na eBay, grande parte das transacções assumir montantes relativamente baixos, dos poucos dólares a algumas centenas (embora também se leiloem casas e automóveis, bem como items raros, cujas licitações podem ultrapassar as dezenas de milhares de dólares). Assim, na maioria dos casos, o pagamento dos objectos licitados através de cheques, transferências bancárias, vales de correio, etc. não constitui uma solução cómoda ou que faça sentido económico. Se um licitador comprar um disco rígido para um computador, por exemplo, por 30 ou 40 dólares, não faz sentido gastar 10 ou 20 em custos de pagamento ou perder uma ou duas horas a deslocar-se ao banco ou à estação de correios ou ao posto da Wells Fargo mais próximos para enviar o dinheiro ao vendedor. Será muito mais prático - e menos inibidor da pulsão de comprar ou da iniciativa de vender - se se dispuser de um serviço como o da PayPal, onde comprador e vendedor estão registados e se identificam através de um endereço de E-mail. Consumado o leilão ou ajustada a venda, o vendedor comunica ao comprador a sua identidade junto da PayPal, especifica o montante dos portes de correio a somar ao valor da transacção - e fica a aguardar que a PayPal o notifique de que o vendedor procedeu a uma transferência em seu favor no montante tal, respeitante ao item tal. Se não houver grandes diferenças de diferenças horários entre as partes e ambas estiverem simultaneamente "on-line", o processo de contactos e realização e notificação do pagamento poderá durar apenas uns minutos, após o que o vendedor poderá desencadear desde logo a fase de expedição do item transaccionado.A eBay já dispunha de uma oferta de serviço de pagamentos para os seus clientes, o BillPoint, mas este nunca conseguiu afirmar-se e crescer nada de comparável com o serviço da PayPal. 60 por cento dos clientes desta são-no também da eBay, distribuindo-se os restantes por compradores de numerosos pequenos negócios de comércio electrónico.Ainda segundo o "Wall Street Journal", até ao fim do ano, a eBay irá encerrar o seu serviço BillPoint, transferindo os seus utilizadores para o serviço da PayPal. A fim de preparar este encerramento, a eBay já em Fevereiro retomara 35 por cento das acções do BillPoint que estavam nas mãos da Wells Fargo, tendo então desembolsado mais de 43 milhões de dólares. Na mesma altura, a PayPal passou a estar cotada em bolsa, coroando o reconhecimento do seu serviço pela grande maioria dos utilizadores - tanto vendedores como compradores - dos leilões da eBay que usam pagamentos electrónicos e que só raramente preferiram o serviço da BillPoint, lançado no início de 2000. Entretanto, no mês passado, a PayPal e a Wells Fargo anunciaram um acordo nos termos do qual esta última - possuidora do maior serviço financeiro postal na América do Norte (e, provavelmente, no mundo) - passaria a assegurar o processamento de todas as transacções baseadas em cartões de crédito da PayPal. Este acordo foi importante para este serviço pois ajudou-o a desvanecer as reticências de associações de emissores de cartões de crédito como a da MasterCard, até então pouco confiante na eficiência com que a PayPal conseguiria gerir os riscos de fraude e de créditos mal-parados (muito elevados neste ramo de serviços financeiros). Na mesma segunda-feira, a eBay divulgou os seus resultados relativos ao segundo trimestre: lucros de 54,3 milhões de dólares proporcionados por vendas (essencialmente, as comissões cobradas pelas transacções feitas no seu "site" de leilões) de 266 milhões de dólares. As previsões junto da Wall Street apontavam para uma facturação entre 260 e 265 milhões de dólares, pelo que os números finais não só ultrapassam ligeiramente a estimativa como se situam acima do dobro do montante registado no período homólogo do ano passado.