Morreu o escritor e diplomata Álvaro Guerra

O escritor, diplomata e jornalista Álvaro Guerra morreu, na madrugada de ontem, na sua residência de Vila Franca de Xira, cidade que o viu nascer a 19 de Outubro de 1936 e com a qual manteve sempre uma forte ligação. Vítima de problemas cardíacos que o debilitavam há já algum tempo, o autor preparava-se para publicar mais um romance, seguindo uma linha que ao longo da vida o levou a passar ao papel sentimentos da sua vivência em vários pontos do mundo. "Em momentos tristes como este, o que me apetece recordar em primeiro lugar é o amigo que se perde, um amigo de bastantes anos e de largos convívios, um amigo leal e generoso, cuja perda nos deixa uma profunda tristeza", confessou ao PÚBLICO Nélson de Matos, das Publicações Dom Quixote, editor de longa data de Álvaro Guerra.Álvaro Manuel Soares Guerra ficou sobretudo conhecido pela publicação, na década de 80, da chamada "trilogia dos cafés" - "Central", "República" e "25 de Abril" - onde, a partir de conversas desenvolvidas no mais "castiço" café de Vila Franca, relatou fases marcantes da História de Portugal vividas numa vila ribatejana. A sua obra literária iniciara-se, contudo, na década de 60, com a publicação de dois livros, o primeiro dos quais, "Mastins", foi prefa