Director do Vasco da Gama diz que “não houve nem vandalismo nem furtos” no centro comercial

Pedro Bandeira Pinto contraria versão da PSP que diz que jovens invadiram centro comercial. PSP decidiu retirá-los do edifício depois de "desentendimento" junto à linha de caixas do Continente.

“As correrias de que falam a notícias podem ter acontecido no exterior", diz director do centro comercial shamila mussa

Há versões diferentes sobre o que se passou na quarta-feira no Centro Comercial Vasco da Gama, em Lisboa. A PSP emitiu um comunicado nesta quinta-feira onde diz que quatro jovens foram detidos e vários identificados por se encontrarem “em desordem entre si” no Parque das Nações. Segundo a PSP, dezenas “invadiram os corredores do centro comercial e começaram a correr desenfreadamente, entrando em algumas lojas”. Já a direcção do Vasco da Gama diz que as imagens de videovigilância não mostram jovens a invadir o espaço. Mais: “Não houve nem vandalismo nem furtos”, diz Pedro Bandeira Pinto, director do Centro Comercial Vasco da Gama.

Pedro Bandeira Pinto explica que durante a tarde de quarta-feira vários jovens usaram o centro comercial, como costumam fazer, como corredor de passagem para chegar ao Parque das Nações, para onde tinha sido marcado um encontro, através das redes sociais. “Era uma tarde normal, igual a outras em que há eventos no MEO Arena”, diz.

Por volta das sete da tarde, “um grupo desentendeu-se em frente à linha de caixas do Continente”, prossegue. Seriam menos de 20, garante. Um deles foi ferido nas costas por outro e os vigilantes do centro afastaram-no e chamaram o INEM.

Alguns colegas do jovem ferido contaram que o atacante tinha usado uma chave-de-fendas, informação que Pedro Bandeira Pinto não pode confirmar. Certo é que a polícia foi avisada. E o jovem foi para o hospital. "Contactámos a PSP que decidiu que era importante que os jovens que estavam no centro comercial saíssem", receando, eventualmente, que houvesse mais incidentes, prossegue o director. Afinal, fora do centro, havia muitos jovens reunidos num meet — um tipo de encontro organizados pelas redes sociais.

“A PSP é que estava no exterior, pode ter-se apercebido de um potencial problema”, admite. Mas dentro do centro, nota, não houve problemas.

A PSP fez então “um varrimento”, o que significa "dizer às pessoas para sair do edifício", continua. Mas “no centro comercial não houve nem vandalismo, nem furtos”, e se alguns lojistas fecharam por breves momentos as portas na altura do “varrimento”, voltaram a abrir logo depois.

“As correrias de que falam a notícias podem ter acontecido no exterior. Não posso dizer o que se passou fora do Vasco da Gama.” O director diz que os problemas aconteceram, nomeadamente, na Gare do Oriente.

A informação de que vários grupos de jovens da área metropolitana de Lisboa e margem Sul se movimentavam da Gare do Oriente para a Pala do Pavilhão de Portugal chegou à PSP pelas 16h30. “Pelas 17h30, o grupo de jovens, estimado em cerca de 600 indivíduos, começou a dispersar, abandonou a Pala do Pavilhão de Portugal, preenchendo todo o passeio central da Alameda dos Oceanos, entre a ‘Pala de Portugal’ e a entrada do Centro Comercial Vasco da Gama”, lê-se no comunicado da PSP desta quinta-feira.

Acontece que “grupos numerosos destes indivíduos acabaram por se envolver em alguns focos de desordem, com correrias constantes”. Duas adolescentes de 16 e 17 anos, “participantes no evento”, vieram a ser detidas por terem praticado um roubo, com recurso a arma branca, a uma menor de 15 anos. Subtraíram um telemóvel e um par de óculos.

É sobre o que se passou no interior do centro que a PSP tem uma versão diferente da do director do centro comercial: “Repentinamente dezenas de jovens invadiram os corredores do centro comercial e começaram a correr desenfreadamente, entrando em algumas lojas. Durante a desordem, um menor de 15 anos foi agredido com uma chave de fendas, provocando-lhe uma perfuração na zona lombar.”

Cinco polícias ficaram feridos e tiveram de receber “tratamento hospitalar imediato, o que ocorreu, tendo entretanto já obtido alta”, remata a PSP. Foram detidos dois homens e duas mulheres, com idades entre os 16 e os 23 anos.

Comentários

Comentar

Caracteres restantes: