Partidos políticos

Festa do Pontal gera mal-estar no PSD

Secretário-geral do partido revela nas redes sociais que há dívidas de fornecedores "há mais de dez anos" e que a festa de 2017 custou cerca de 79 mil euros.
Fotogaleria

Os comentários do secretário-geral do PSD José Silvano sobre a contenção de custos da festa do Pontal e com referências a gestões financeiras de anteriores direcções, publicados na rede social Facebook, estão a gerar mal-estar interno.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Num comentário a uma publicação na página de Facebook de outro utilizador, em que se questionavam os moldes da festa do Pontal deste ano, José Silvano escreveu que a iniciativa no ano passado custou 79 mil euros e, enquanto isso, o PSD acumulou dívidas a fornecedores pelas quais paga juros.

“Fica a saber que a festa do Pontal custou em 2017 cerca de 79000 euros. Devemos a alguns fornecedores há mais de dez anos. Pagamos de juro, devido a algumas injunções postas por alguns desses fornecedores, algumas dezenas de milhares de euros. Comigo, o PSD não vai por esse caminho”, lê-se na publicação entretanto apagada pelo autor original do post.

O secretário-geral do PSD acrescentou ainda, numa nova publicação: “Não se podem gastar 80 000 euros no pontal e dever a fornecedores há cinco e dez anos…Isto não é sério”.

As publicações estão a ser entendidas como uma crítica a anteriores direcções – sobretudo às dos dois antigos líderes Pedro Passos Coelho e Manuela Ferreira Leite e aos respectivos secretários-gerais – José Matos Rosa e Luís Marques Guedes. Por outro lado, os sociais-democratas não gostaram de ver as contas do partido discutidas no Facebook.

Contactado pelo PÚBLICO, José Silvano desvaloriza a polémica, lembrando que as contas do partido já foram apresentadas em Conselho Nacional e que “saíram notícias [sobre isso] em todos os jornais”. O dirigente mostra-se surpreendido com a estranheza dos militantes em torno da contenção de custos na festa Pontal que já era conhecida e refere que, "ao mesmo tempo", o PSD vai "restaurar a festa do Pontal original”. Questionado sobre a apreciação que fez à gestão financeira de anteriores direcções, o secretário-geral recusa que seja uma crítica. “Não é uma crítica a ninguém. São questões de prioridade”, afirmou.

Uma das vozes que se insurgiram contra Silvano é a de Luís Cirilo Carvalho, ex-secretário-geral adjunto do PSD, que na mesma rede social condenou a “obsessão” da actual direcção em “fazer oposição a Pedro Passos Coelho”. Sociais-democratas ouvidos pelo PÚBLICO, que não se quiseram identificar, mostraram-se indignados com as publicações de José Silvano por considerarem que apontam o dedo, em público, à direcção financeira de Passos Coelho. 

Mas a polémica não fica por aqui. Na sua própria página da mesma rede social, José Silvano publicou esta terça-feira um vídeo com imagens das primeiras edições da festa do Pontal, em que aparece Sá Carneiro. A publicação gerou comentários negativos - “uma provocação grosseira à memória de Sá Carneiro” - por se considerar que a actual direcção do PSD quer acabar com esta iniciativa.

A festa do Pontal realiza-se a 1 de Setembro (e não a meados de Agosto, como tem acontecido nos últimos anos) com um figurino local e sem a dimensão nacional das edições mais recentes. Será um almoço numa zona rural em Querença, Loulé, e terá a presença de Rui Rio.