Livros

Quando o livro não nos pesa na carteira porque é um ebook

É muito cómodo durante as viagens, de metro ou de autocarro, ir a ler um livro que quando nos levantamos da cadeira não nos pesa na mochila.
Fotogaleria

Numa tentativa de me livrar da tralha com que muitas vezes saímos de casa e, que ao final do dia, percebemos que afinal não nos fez falta nenhuma, tenho andado a ler livros no telemóvel em vez de os transportar na sua versão impressa.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

É muito cómodo durante as viagens, de metro ou de autocarro, ir a ler um livro que quando nos levantamos da cadeira não nos pesa na mochila pois está disponível no smartphone que levamos para todo o lado.

Faço isto há anos, ler livros em formato electrónico. Mas antigamente era capaz de transportar na bagagem um Kindle – o leitor de livros electrónicos da Amazon que nos aproxima muito da sensação da leitura em papel – ou até um Sony Reader que também tive. Mas com o passar dos anos estes gadgets começaram a ficar obsoletos. Não voltei a investir em novos. Passei a usar um tablet – no meu caso é um iPad mini – que me permite fazer tudo, desde ver programas de televisão, ouvir música, ver filmes e séries em streaming, ler livros, escrever textos, etc. Mas mesmo sendo mini, pesa na mochila, daí a mudança para uma versão de vida mais minimalista em que o smartphone é o único objecto electrónico que tento transportar para todo o lado.

Nesta mania da leitura em dispositivos electrónicos temos a nossa vida muito facilitada quando o que queremos ler está editado em língua inglesa. Mas quando o que queremos ler são ebooks publicados por editoras portuguesas, a nossa vida complica-se, pois nem todos estão disponíveis em todas as lojas online.

É verdade que os dois maiores grupos editoriais portugueses – a Leya e a Porto Editora – têm muitos dos seus livros disponíveis para compra em versão ebook nas livrarias online que detêm — quer na Leyaonline, quer na Wook. Mas quem lê ebooks  prefere ter a sua biblioteca virtual disponível numa única aplicação e não quer ter de andar a mudar de sítio de compra dos livros ou de aplicação para os ler nos seus dispositivos.

É muito mais cómodo e simples adquirir todos os ebooks quer através do Kindke, da Amazon, quer através da Kobo ou da iBooks, da Apple. Mas o problema destas lojas é que nem sempre têm disponíveis as edições em português que desejamos. Por isso, passei a usar também o Google Play Livros, para compra e leitura de ebooks em edição portuguesa porque o catálogo deles tem melhorado. Já lá encontrei ebooks em português que não estão disponíveis em lojas concorrentes como a Amazon, iBooks ou a Kobo, embora estejam disponíveis nas livrarias virtuais das editoras portuguesas.

A aplicação do Google Play Livros para telemóveis existe numa versão para iOS e numa outra para Android, sendo a última mais completa. Por exemplo, esta versão permite, desde o início deste ano, tal como o Kindle da Amazon já permitia, que em algumas edições de ebooks seja possível activar o “ler automaticamente em voz alta” e adaptar “a uma voz de leitura mais natural”, o que transforma qualquer ebook num audiolivro. Embora ainda só tenha conseguido experimentar esta leitura em voz alta em edições de língua inglesa, a possibilidade de se prosseguir a leitura enquanto caminhamos até ao nosso destino, também nos dá uma sensação de leveza.