Legionella

Empresa nega responsabilidade no surto

"Não foi encontrada qualquer acção ou omissão significativa susceptível de explicar" o surto que infectou 54 pessoas e matou cinco.
Foto
LUSA/ANTÓNIO COTRIM

A empresa Veolia Portugal, responsável pela manutenção das torres de refrigeração do Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, negou neste sábado qualquer responsabilidade no surto de legionella.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

"Todos os procedimentos foram implementados correctamente e são perfeitamente rastreáveis. Da análise efectuada não foi encontrada qualquer acção ou omissão significativa susceptível de explicar a amplitude deste fenómeno", defende-se a empresa, numa nota de esclarecimento.

A empresa de climatização adianta que, na sequência do surto de legionella no Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, e que provocou cinco mortos, foi aberta uma investigação para "uma melhor clarificação" do quadro em que ocorreu este surto.

Apesar de estar em fase de conclusão, a empresa avança com indicações preliminares, sustentando que aplica "os procedimentos de prevenção do risco de legionella em conformidade com as regras vigentes em Portugal, com as referências internacionais e com as exigências do Grupo Veolia".

Além desta investigação, a Veolia Portugal adianta que solicitou ao Instituto da Soldadura e Qualidade, "como entidade independente e credível a nível nacional e internacional", a realização "com efeitos imediatos" de uma análise aprofundada de toda instalação, verificando o estado dos equipamentos e o funcionamento do sistema.

A empresa considera também que "é fundamental ter em conta que um surto de legionella resulta de uma conjugação de vários factores", sendo por iss, "essencial efectuar todas as análises e testes necessários".

"Em 20 anos de actividade em hospitais, a Veolia Portugal nunca conheceu uma situação semelhante", insiste, sustentando que "opera especificamente na central de trigeração" do Hospital de São Francisco Xavier e que não têm actividades "de limpeza e manutenção dos edifícios hospitalares, do sistema de águas quentes sanitárias nem dos depósitos da água fria".

O surto da bactéria Legionella pneumophila no Hospital São Francisco Xavier infectou, até ao momento, 54 pessoas, encontrando-se actualmente cinco internadas em Unidades de Cuidados Intensivos, segundo a Direcção-Geral da Saúde.

O primeiro caso de doença dos legionários, provocada pela bactéria legionella foi confirmado a 31 de Outubro.