Estudo MediaMonitor/Marktest

Canais públicos de TV dão mais tempo ao Governo

A RTP1 e a RTP2 foram os canais que mais tempo noticioso dedicaram ao Governo durante o mês de Junho, de acordo com dados de um estudo realizado pela empresa MediaMonitor/Marktest. Os dois canais de serviço público são responsáveis por 61 por cento do tempo de exposição televisiva do Executivo, confirmando uma tendência que se verificara já em Maio.

O primeiro canal público não só emitiu mais notícias sobre o Governo de Durão Barroso, como lhe atribuiu mais tempo do que qualquer outra estação: 37 por cento do total. A RTP2, apesar de ter apenas um bloco informativo diário, quando todos os outros canais emitem pelo menos dois, ficou em segundo lugar neste "ranking" com 24 por cento. No pólo oposto, a SIC, 19 por cento, foi a estação que menos tempo de exposição deu ao Governo.

O estudo, que incidiu sobre os telejornais da hora de almoço e da hora de jantar, indica ainda quais os membros governamentais com presença mais assídua nos ecrãs: o líder do Executivo é também o primeiro neste indicador. Durão Barroso foi não só o mais mediático dos governantes, como viu confirmada esta posição em todos os canais. O ministro Morais Sarmento, "catapultado" pela polémica sobre a reestruturação da televisão do Estado, ficou a seguir.

A RTP1 deu a nove dos 17 ministros de Durão Barroso o seu maior grau de exposição televisiva, mas três que não a tiveram no primeiro canal conseguiram-na na RTP2: Bagão Félix, Trabalho e Segurança Social, Martins da Cruz, Negócios Estrangeiros, e Carlos Tavares, Economia. Só o ministro da Cultura, Pedro Roseta, não mereceu, no período analisado, qualquer referência em qualquer dos canais. Estes dados confirmam a ideia de ser o serviço público o principal espaço de visibilidade televisiva do Executivo.

A nível partidário, o PS teve a maior presença em todas as estações, à excepção da TVI, onde a crise interna do PCP se sobrepôs à actualidade do maior partido da oposição. O CDS-PP foi o partido a ter menor exposição, o que se verificou nos quatro canais. Outra tendência unânime é o maior tempo de espaço televisivo dado ao PCP, quando comparado com o Bloco de Esquerda.

Junho foi ainda marcado pelo rescaldo do Mundial de futebol, como o prova o facto de a personalidade com mais visibilidade ter sido João Pinto. O futebolista foi a presença mais assídua nos blocos noticiosos dos três principais canais de sinal aberto - RTP1, RTP2 e SIC. Além dele, também o treinador António Oliveira, segundo, e os dirigentes Gilberto Madaíl, quinto, e António Boronha, sexto, estão no grupo das seis personalidades com maior destaque televisivo.

Os "intrusos" desta tabela "global" são Durão Barroso, terceiro, e Jorge Sampaio, quarto lugar. O primeiro-ministro foi, aliás, o único político a conseguir ser a figura com mais presenças num dos canais, no caso a RTP2. Santana Lopes foi a sétima personalidade com mais exposição durante o mês de Junho, seguido de Morais Sarmento e de Francisco Louçã. Mas o dirigente do Bloco de Esquerda não deve a maior parte do seu tempo de exposição à RTP1, mas à SIC, apesar de ter sido neste canal que o seu partido foi menos destacado.

A RTP2 foi o canal que menos tempo dedicou às figuras consideradas, mas aquele onde todos os partidos, à excepção do PCP, tiveram a maior parte da sua exposição televisiva.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.