Liga dos Campeões

Um olhar sobre os adversários do FC Porto

O essencial dos rivais do campeão português no Grupo D da Champions.
Foto
LUSA/SEBASTIEN NOGIER

Lokomotiv Moscovo

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Quando o uruguaio Diego Forlán desdobrou o papel que colocou o FC Porto no Grupo D, onde já estava o Lokomotiv Moscovo, dificilmente algum portista terá contido um sorriso. O campeão russo, onde jogam Manuel Fernandes e Éder, era, indiscutivelmente, o cabeça de série teoricamente mais acessível. Comandados pelo experiente Yuri Semin, os moscovitas reforçaram-se com jogadores de qualidade, como Smolov, Krychowiak e Howedes, mas as principais figuras continuam a ser Manuel Fernandes e o peruano Farfán. O início de época tem sido, no entanto, sofrível: derrota na Supertaça russa, dois empates e um desaire nas três primeiras jornadas do campeonato.

Schalke 04

O último confronto entre FC Porto e Schalke 04 já tem uma década, mas ainda está fresco na memória de muitos portistas: após uma derrota, por 1-0, em Gelsenkirchen, os “dragões” foram afastados da Liga dos Campeões no desempate por penáltis num jogo marcado por uma exibição extraordinária de Manuel Neuer. Desta vez, o capitão da selecção alemã não estará na baliza do Schalke 04 e uma das vedetas do rival portista estará no banco: o treinador Domenico Tedesco, de apenas 32 anos. Com um futebol musculado, perdeu o influente médio Goretzka, que se mudou para o Bayern, e Konoplyanka ainda pode sair. A estreia na Bundesliga não foi feliz: derrota em Wolsburgo.

Galatasaray

No Pote 4 havia rivais mais apetecíveis para o FC Porto. Com o regresso do experiente Fatih Terim na época passada, o Galatasaray voltou a dominar o futebol turco e o arranque desta temporada tem confirmado que a equipa de Istambul será um rival perigoso: três jogos e três vitórias, 10 golos marcados e apenas um sofrido. Com dois velhos conhecidos dos portistas (os brasileiros Maicon e Fernando), o campeão da Turquia tem um guarda-redes de inegável qualidade (Fernando Muslera), um médio que deu nas vistas no Mundial 2018 (Younès Belhanda) e jogadores perigosos no ataque, como Garry Rodrigues, Eren Derdiyok, Sinan Gumus e Henry Onyekuru.