PCP

Situação da ferrovia em Portugal é reflexo da destruição da Sorefame, diz Jerónimo de Sousa

Na visita à Quinta da Atalaia, na Amora, o líder comunista saudou os muitos voluntários que preparam o espaço onde irá decorrer a Festa do Avante! em 7, 8 e 9 de Setembro.
Foto
LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, disse neste sábado que a situação da ferrovia em Portugal é um reflexo da destruição, em 2003, da Sorefame?, empresa que produzia carruagens no país.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

"Foi hoje notícia que a Renfe espanhola não terá comboios para alugar a Portugal. Pouco importa se a notícia tem ou não total fundamento, o que assim revela é a situação de um país desarmado, sem meios, sem capacidade de resposta soberana para os problemas que se acumularam. É um reflexo da destruição, em 2003, da Sorefame, empresa que produzia carruagens", afirmou o líder comunista, durante uma visita ao recinto da Festa do Avante!, no Seixal, distrito de Setúbal.

O PÚBLICO noticiou neste sábado, citando dirigentes da Renfe, que a empresa espanhola não pode ceder material circulante ao Governo português. Porém, numa nota divulgada durante a manhã, o Ministério do Planeamento e Infraestruturas garantiu que a contratação "será realizada nas próximas semanas".

Jerónimo de Sousa indicou que "desde 2002 que não se compram comboios" em Portugal e que, por exemplo, na Linha de Cascais são utilizados "comboios com mais de meio século", com um prazo útil "vencido há mais de cinco anos".

Na sexta-feira, em Grândola, o líder comunista também responsabilizou o PSD e o CDS-PP pela situação do transporte ferroviário no país.

"A situação nos transportes públicos e no sector ferroviário em particular, revela de forma nua e crua as consequências da política de direita, de décadas de desinvestimento, de abandono da produção e das privatizações", sublinhou.

Jerónimo de Sousa criticou também a iniciativa de Assunção Cristas e dirigentes do CDS-PP que viajaram, na terça-feira, por várias linhas ferroviárias do país para chamar a atenção para a falta de investimento no sector.

"Hoje é ver a Cristas e outros a andar de transporte público e a queixarem-se daquilo que eles próprios contribuíram para fazer", apontou.

"Já nem se lembram que votaram contra as sucessivas iniciativas do PCP para reforçar e assegurar o investimento no sector. O PSD e o CDS não podem fugir do problema com esta ou aquela manobra de diversão", frisou.

Jerónimo de Sousa referiu ainda que o actual governo do PS também "não pode aligeirar responsabilidades por ter decidido manter por fazer os investimentos necessários".

Na visita à Quinta da Atalaia, na Amora, o líder comunista saudou os muitos voluntários que preparam o espaço onde irá decorrer a Festa do Avante! em 7, 8 e 9 de Setembro.

Ao ouvir o discurso do dirigente, centenas de voluntários, militantes, membros da Juventude Comunista e Simpatizantes iam gritando "assim se vê a força do PC".

Jerónimo de Sousa deixou a promessa: "vamos fazer uma grande Festa do Avante!".

Artigo corrigido: a notícia indicava erradamente o nome da empresa como sendo Soferam. É Sorefame.