Público

MI Ê Di LI I DI LA (Eu sou daqui e de lá)

MI Ê Di LI I DI LA

(Eu sou daqui e de lá)

Cabo Verde é a terra dos avós, que chegaram a Portugal nos anos 70. É de lá que vem a cachupa, o crioulo, o ar quente. Para a segunda e terceira geração de cabo-verdianos em Portugal, Cabo Verde é uma memória que lhes é contada.
Muitos nunca lá estiveram.

Ler artigo relacionado →

Em Dezembro do ano passado, o Alto Comissariado para as Migrações (ACM) levou 21 jovens descendentes de cabo-verdianos até à capital, a cidade da Praia, na Ilha de Santiago. O ACM chama-lhes líderes: são um exemplo nas respectivas comunidades, trabalham com projectos sociais. A educação abriu-lhes oportunidades que a 1ª geração não teve. Grande parte já nasceu em Portugal e habituou-se a ouvir: “tu não és de cá”.

Alguns têm apenas nacionalidade portuguesa, outros preservam também a cabo-verdiana. E foi lá, em Cabo Verde, que descobriram que a identidade não está presa a um território. Fizeram o roteiro turístico e conheceram familiares. Vanessa sonhava com o reencontro com a sua “Iá-iá” – a avó – que viu apenas com dois anos. Conhecer a avó foi conhecer Cabo Verde. É agora a memória mais valiosa que guarda de lá.