Energia

Arraiolos vai ser pioneira na iluminação do centro histórico com sistema LED

Monumentos serão os últimos a beneficiar da intervenção Pedro Cunha

A nova iluminação com tecnologia LED (díodo emissor de luz) nas zonas pedonais, ruas e espaços cénicos de maior valor patrimonial pretende valorizar o espaço urbano da vila de Arraiolos, no distrito de Évora.

Mas o projecto em fase de conclusão tem ainda como objectivo aumentar a sustentabilidade, segurança e conforto da iluminação pública, permitindo à autarquia reduzir a sua factura energética em 30 por cento.

O presidente da Câmara de Arraiolos, Jerónimo Lóios, explica que esta é mais uma fase do projecto de requalificação do centro histórico, defendendo mesmo a instalação de "uma placa que diga "Arraiolos, vila dos tapetes e dos LED"". O autarca reclama tratar-se da primeira grande intervenção de remodelação urbana e decorativa no país que, "além de permitir grandes níveis de poupança energética para a autarquia, torna mais atractiva a vila, mostrando certos aspectos que os anteriores candeeiros e lâmpadas não possibilitavam ver".

O projecto custou cerca de meio milhão de euros, comparticipado em 80 por cento por fundos comunitários, e foi executado em colaboração com a Schréder, empresa especializada em iluminação urbana. "Num futuro muito próximo, vamos ser confrontados com problemas graves com a iluminação pública, e o exemplo disso é o facto de alguns municípios preverem já alguns cortes. Nós não quisemos ir por aí, porque é um problema que pode afectar a segurança das populações", justifica Jerónimo Lóios. E prossegue: "Pensámos que requalificar todo o sistema de iluminação seria um caminho que deveria ser seguido. Aliás, defendemos que este deveria ser um projecto nacional, e não apenas uma autarquia a adoptar."

Design minimalista

Para o director-geral da Schréder, Miguel Sampaio de Mattos, o futuro da iluminação está no baixo nível de consumo da tecnologia LED, em detrimento dos sistemas tradicionais, de mercúrio, substituindo-os por fontes livres deste gás perigoso para o meio ambiente e a saúde pública. A regulação do sistema de iluminação, adianta, vai ser feita remotamente, "através de um comando centralizado que fica sob a responsabilidade da câmara municipal, à qual cabe controlar todo o fluxo energético em função do horário do sol, da utilização do espaço e daquilo que pretende que seja a relação entre a população e a iluminação".

O empresário assegura que a tecnologia LED proporciona mais luminosidade e de melhor qualidade. "Procurámos trazer a luz de casa para o exterior, uma luz mais quente, mais acolhedora e com uma cor mais agradável", frisa, acrescentando que outra inovação deste sistema é "manter uma luz a cem por cento numa passadeira e reduzir noutros locais, porque cada luminária é identificada pelo sistema como uma luz isolada".

Sampaio de Mattos avança que a substituição das luminárias recaiu sobre um design moderno e minimalista, para uma boa integração: "Daí a escolha pela cor dos passeios, para que se funda e dilua na paisagem, ao ponto de não se verem ao longe numa fotografia."

Estes novos candeeiros projectados para Arraiolos resultam do trabalho dos light designers Rogério Oliveira e Eduardo Gonçalves, do atelier ECLIPz, que deram "importância à cor, à uniformidade da luz e à criação de ambientes hospitaleiros".

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.