Artigos deste autor

  • No Dia Internacional da Mulher seleccionámos alguns indicadores sobre saúde, educação e trabalho que revelam a situação de homens e mulheres no mundo. Mostram, por exemplo, que a Eslovénia e a Suíça são considerados os melhores países para se ser mulher. Já a última sondagem da Organização Mundial do Trabalho revela que em Portugal, 31% dos homens e 43% das mulheres acreditam que elas não têm as mesmas oportunidades quando procuram um bom posto de trabalho.

  • Juntando as empreitadas do programa Uma Praça em Cada Bairro, as do Pavimentar Lisboa 2015-2020, as da frente ribeirinha e outras intervenções dispersas pela cidade, tornou-se já comum falar de uma Lisboa transformada em estaleiro de obras. Para os que consideram que são demasiadas as obras a decorrer em simultâneo e que o trânsito está pior do que nunca, fica um aviso: são muitas as empreitadas anunciadas pela autarquia que só vão começar em 2017.

  • Na décima edição do Índice Global de paz, que avalia 163 países e territórios independentes, Portugal sobe do 11.º para o 5.º lugar. Vemos que o planeta está menos pacífico, e a diferença entre os lugares mais e menos pacíficos continua a aumentar. A manutenção dos níveis históricos de paz entre as nações mais pacíficas está entre as tendências positivas, mas o conflito na região do Médio Oriente e Norte de África tornou-se tão intenso que essa tendência quase não se nota 

  • A Organização das Nações Unidas é uma instituição internacional multilateral de carácter único, procurando representar desde a sua fundação, há 71 anos, “os povos do mundo”. A entidade da qual António Guterres será secretário-geral a partir de 1 de Janeiro próximo vê-se cada vez mais pressionada a reformar o seu funcionamento de modo a responder ao muito que o mundo mudou desde o pós-II Guerra Mundial e a ser mais eficaz na sua acção. 

  • Disseminado principalmente através da picada do mosquito do género Aedes, o vírus Zika é recente. Foi inicialmente identificado no Uganda em 1947, em macacos Rhesus. Em 1952 foi identificado em humanos, no Uganda e na Tanzânia. Desde então têm-se registado surtos da doença em África, nas Américas, na Ásia e no Pacífico.

  • Antecipam um mundo sem fome, pobreza, medo, violência. Um mundo com acesso universal à educação, aos cuidados de saúde e à protecção social. Um mundo justo, equitativo, tolerante, aberto e inclusivo. Um mundo com trabalho digno para todos. Um mundo com democracia, boa governação, economia sustentável, humanidade em harmonia com a natureza. 
    O relógio começou a contar a 1 de Janeiro de 2016. O despertador soará a 31 de Dezembro de 2030. São 17 Objectivos do Desenvolvimento Sustentável que se consubstanciam em 169 metas.