Internet

Uma enciclopédia na blockchain

A Everipedia remunera os autores dos seus artigos e, ao contrário da Wikipedia, é praticamente impossível de censurar.
Foto
Everipedia

A Wikipedia tem desde esta semana uma enciclopédia rival assente numa blockchain (base de dados distribuída, em que o conteúdo não se encontra alojado num servidor). Na quinta-feira, e após períodos experimentais noutras plataformas, a Everipedia passou a estar disponível na blockchain EOS, que serve de base à criptomoeda do mesmo nome, e utiliza uma divisa virtual, a IQ, para remunerar autores de artigos recomendados pelos seus leitores.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

A existência de um sistema de incentivos para os editores é precisamente o que distingue a Everipedia de outros projectos semelhantes. Cada autor faz uma espécie de depósito em IQ para criar ou editar um artigo, só podendo reaver a soma (e nesse caso, com um bónus) se o que escreveu for considerado um contributo de qualidade. Outra diferença em relação à Wikipedia, a enciclopédia virtual mais popular, é a possibilidade de haver vários artigos sobre o mesmo tópico, cabendo aos leitores assinalar qual a melhor entrada.

Os criadores da Everipedia – entre os quais se conta um co-fundador da Wikipedia, Larry Sanger – acreditam que o sistema vai incentivar uma maior diversidade de colaboradores a contribuir para a enciclopédia (a existência de grupos pequenos e homogéneos de autores que controlam a edição da Wikipedia tem sido uma das críticas mais recorrentes àquele projecto). Por outro lado, defendem, o facto de a Everipedia estar assente numa blockchain protege a enciclopédia de acções de censura, uma vez que não basta bloquear o acesso a um servidor para impossibilitar a sua leitura (a Wikipedia encontrar-se parcial ou totalmente banida em países como a Turquia e a China).

O projecto também tem os seus críticos. De imediato, os que apontam o facto de a Everipedia ter arrancado com uma cópia de todos os artigos da Wikipedia, apresentando depois uma versão paga que está assente no trabalho colaborativo e não remunerado dos autores da enciclopédia rival. Por outro lado, não é líquido que o sistema de incentivos não possa ser manipulado. Por fim, e a julgar pelos links partilhados pelas contas oficiais da Everipedia nas redes sociais, a nova enciclopédia corre o risco de se tornar num repositório de perfis de investidores e entusiastas das criptomoedas, alguns de relevância discutível – sinal de que muitos dos seus editores estão ligados ao universo das moedas virtuais, colocando-se assim um problema de representatividade potencialmente maior do que aquele que é apontado à Wikipédia.