Futebol

Três "bis" na vitória do Sp. Braga sobre o Nacional

Os insulares regressaram esta época à Liga e deixaram boas impressões na primeira parte.
Foto
Dyego Souza esteve em evidência frente ao Nacional. LUSA/HUGO DELGADO

O Sporting de Braga apadrinhou, neste domingo, o regresso do Nacional à I Liga e as duas equipas disputaram um bom jogo de futebol com três “bis”. Os bracarenses aplicaram uma derrota por 4-2 aos insulares, que mostraram, mais no primeiro tempo, ter uma equipa com boas opções ofensivas, nomeadamente Bryan Róchez, jogador que chegou no mercado de Inverno na época 2017-18. Da parte do Sp. Braga, o destaque vai para a grande exibição de Dyego Sousa, que jogou e fez jogar, com dois golos e uma assistência, e Ricardo Horta.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

A primeira parte mais pareceu um duelo entre Sousa e Róchez, com os dois jogadores a “bisarem”. A primeira vez foi do brasileiro, que recebeu de Fransérgio uma assistência soberba e inaugurou o marcador (4’). O hondurenho empatou aos 21 minutos através de grande penalidade, depois de Mateus ter sido displicente na forma como tentou parar Vítor Gonçalves.

Com o empate e com uma circulação de bola bem pensada, o Nacional foi retirando a iniciativa do jogo ao Sp. Braga e conduziu o seu ataque pelo flanco esquerdo, onde Witi e João Camacho apareceram por turnos para incomodar a defesa bracarense.

O minuto 32 marcou o início de uma nova ronda no duelo Sousa vs Róchez. Alhassan dominou mal a bola no meio-campo e o ponta-de-lança do Sp. Braga aproveitou o erro. Correu para a baliza contrária e nem Diogo Coelho conseguiu parar o remate cruzado que valeu nova vantagem à equipa da casa. Cinco minutos depois, Raúl Silva disputou com o número 4 dos insulares um mau alívio de Mateus. A bola caiu nos pés de Róchez, que não perdeu a oportunidade de fuzilar a baliza do guardião brasileiro e fazer um empate que ao intervalo era justo.

Segunda parte, novo “bis”, desta vez por Ricardo Horta, que, ao contrário de Dyego Sousa, não encontrou oposição. Três minutos depois de regressar do balneário, o extremo português recebeu um passe do brasileiro e repôs a sua equipa na frente do jogo.

O Nacional não voltou a ter o discernimento que teve nos primeiros 45 minutos e o Sp. Braga começou a pausar mais o jogo, para descontentamento do público da casa, mas Horta tratou de “abafar” os assobios que vinham da bancada. Bem posicionado em frente a Daniel Guimarães, o jogador bracarense deu o melhor seguimento possível ao amortecimento que Diogo Figueiras fez de um passe longo de Fransérgio.

O jogo acabou com o Nacional “desaparecido” de cena e o Sp. Braga a ameaçar consecutivamente a baliza adversária.