Futebol nacional

Incentivos financeiros a terceiros vão dar perda de pontos

Medida foi aprovada em assembleia geral da Liga de Futebol Profissional.
Foto
rcl Ricardo Castelo/NFACTOS

Os clubes reunidos nesta quarta-feira em assembleia geral extraordinária da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) aprovaram, por unanimidade ou maioria qualificada, várias alterações ao Regulamento Disciplinar, que passam essencialmente pelo agravamento de sanções. Entre as medidas tomadas pelo organismo liderado por Pedro Proença destaca-se a instauração da perda de pontos para incentivos financeiros proporcionados a outros emblemas.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Na reunião magna de oito horas realizada na sede do organismo, no Porto, os clubes concordaram com o aumento do valor de multas para algumas infracções e com a perda de pontos para casos em que um clube apresente incentivos financeiros a outro para que vença determinado jogo. Neste caso, sempre e quando seja provado, o clube que activamente promova essa prática incorre numa pena de perda de três a cinco pontos na classificação do respectivo campeonato.

Sónia Carneiro, directora executiva da Liga, destacou também esta alteração: “Todos os clubes que derem ou prometerem recompensa a jogadores de outra equipa terão um agravamento sério da moldura penal, que pode determinar a perda de pontos”, acrescentou. “Na verdade, os regulamentos da Liga foram os primeiros a preverem a impossibilidade de um clube receber para ganhar. Havia uma sanção de multa e entendemos este ano que deveríamos ter uma sanção igual á aprovada pela lei penal e, portanto, este tipo de comportamentos vai determinar também a sanção de subtracção de pontos”.

Além disso, foram ainda aprovadas punições mais pesadas a dirigentes que incitem à violência, à disciplina ou protagonizem comportamento fora das normas. “Um dirigente que, dentro de um quadro específico, que estará previsto, cometa duas infracções, fica sujeito, à terceira, a pagar multas mais elevadas e, em extremo, a ser impedido de entrar em estádios”, explicou a dirigente.

A Mesa da Assembleia Geral da LPFP, presidida por Mário Costa, anunciou ainda que foram aprovadas alterações em sede de Regulamento de Arbitragem, nomeadamente modificações às regras do videoárbitro (VAR), indo ao encontro das pretensões do Conselho de Arbitragem.

Nesta reunião estiveram representados os três “grandes” — Benfica, FC Porto e Sporting — e seis clubes não marcaram presença, nomeadamente o Desportivo das Aves, Paços de Ferreira, Gil Vicente, Nacional, União da Madeira e Real Massamá.