Em Dallara F302 Renault-Sodemo

Grande Prémio de Macau: Lapierre venceu segunda manga de F3 e ganhou a prova

O francês Nicolas Lapierre, em Dallara F302 Renault-Sodemo, venceu hoje a corrida de fórmula 3 integrada no Grande Prémio de Macau, que tem para o piloto o "melhor circuito do mundo".

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Lapierre bateu, na segunda manga, o seu companheiro de equipa Fábio Carbone, que na primeira manga tinha largado da "pole-position", quedando-se pelo quarto lugar na corrida e na grelha de partida para a segunda manga.

No final da prova, Lapierre reconheceu que teve "muita sorte" na segunda manga, já que após ter saído da segunda posição da grelha, lugar que manteve até à 12ª volta, beneficiou da desistência do australiano James Courtney, em Dallara F302 Toyota Tom's, que partiu o eixo da roda dianteira do lado direito depois de tocar nos rails na curva Melco.

Nicolas Lapierre disse que na segunda manga "puxou muito pelo carro" para tentar conquistar o primeiro lugar, mas se não fosse a desistência de James Courtney "seria difícil manter o mesmo ritmo".

Já Fábio Carbone que, com Lapierre, fazia equipa com César Campaniço, manifestou algum desapontamento por não ter ganho a prova macaense, mas salientou a dobradinha da sua equipa, a Signature Plus, e a "vontade" de na próxima semana na Coreia do Sul tentar uma vitória.

Carbone comentou ainda uma penalização que lhe teria sido imposta a meio da prova por ter ultrapassado um adversário quando o "safety car" estava em pista devido a uma carambola no início da estrada de São Francisco, logo na primeira volta da segunda manga, explicando que o carro do outro piloto "tinha um pneu furado, parou logo a seguir e os comissários entenderam não o penalizar".

No terceiro lugar classificou-se o japonês Katsuyuki Hiranaka, em Dallara Opel-Spiess, que terminou a segunda manga a 15,3 segundos do francês.

Numa segunda manga efectuada de trás para a frente, destaque para o piloto Pierre Kaffer, em Dallara F303 Toyota Tom's, que saiu do 25º lugar da grelha, em virtude de um acidente logo na primeira volta da primeira manga, que envolveu também o português Álvaro Parente e o finlandês Nico Rosberg, e acabou a corrida no quinto posto.

Álvaro Parente, em Dallara F302/3 Mugen-Honda, que saiu do 28º lugar da grelha na segunda manga, desistiu a meio da corrida, depois de ter "dado um toque" num adversário quando tentava recuperar posições.

César Campaniço, que devido a ter ficado com a caixa de velocidades colada em sexta, efectuou apenas três voltas na primeira manga, saiu no 23º lugar da grelha para a segunda manga, tendo terminado a corrida em nono, um lugar que, à semelhança de Pierre Kaffer, lhe valeria de pouco porque, com apenas 18 voltas cumpridas não completou a corrida.

Michael Ho, em Dallara F302 Toyota Tom's, Lei Kit Meng e Joseph Rosa Merszei, ambos em Dallara F302 Honda-Mugen, todos pilotos de Macau, classificaram-se na geral combinada das duas mangas nos 7º, 11º e 12º lugares, respectivamente.

Com apenas 16 pilotos a verem confirmada a conclusão da corrida, Nelson Piquet Júnior, que vinha a Macau para tentar "ganhar", quedou-se por um modesto 14º lugar no combinado das duas mangas, fruto de um acidente ainda na primeira manga na curva da Maternidade, na zona lenta do circuito.