Muitos rohingya vêem o Facebook como a única forma de denunciar as injustiças de que são alvo, mas a rede social está a apagar publicações e define um dos grupos como uma "organização perigosa".