• Paulo Baldaia disse-me um dia que ser jornalista é fazer perguntas. Aqui está uma: que negócio, afinal, foi este?

  • Gigantes mediáticos como a RT e a Sputnik trabalharam em conjunto com websites extremistas e bloggers, trolls, e bots individuais para propagar desinformação.

  • Ameaças físicas, invasão de privacidade, difamação e destruição de propriedade são algumas das pressões e violências registadas por jornalistas, assinala Conselho da Europa.

  • Aquilo que está em causa é muito mais do que a inocência ou a culpabilidade de José Sócrates ou de Dias Loureiro — é todo o sistema político, judicial, económico e mediático português.

  • Na política, na esfera pública, nas redes digitais, o que está hoje na ordem do dia é o “vale tudo”. O descaramento compensa.

  • A diferença entre o Ministério Público de 2007 e o de 2017 é a liberdade que hoje existe para investigar, acusar e arquivar. Infelizmente, essa liberdade é historicamente frágil, e não falta quem a queira cercear.

  • Se aprovada, a nova proposta da Comissão Europeia irá trazer alterações disruptivas ao funcionamento atual do mercado.

  • Os jogos só melhoram o desempenho nas tarefas treinadas em específico, não se verificando uma transferência desses benefícios para outros sectores cognitivos. No ano passado, uma destas aplicações foi multada por publicidade enganosa.