Valter Hugo Mãe “imprudentemente” na floresta dos suicídios

O novo romance de Valter Hugo Mãe, Homens Imprudentemente Poéticos, abre-nos a porta à história de “uma vizinhança inimiga” entre o artesão Itaro e o oleiro Saburo – num ódio partilhado que as fatalidades do destino se encarregam de pôr em causa. Mas mostra-nos também um trecho de O Sentido da Vida, documentário inédito de Miguel Gonçalves Mendes (a estreia deverá acontecer em 2017). Ambos se passam no Japão.

Sendo uma das “personagens emblemáticas da contemporaneidade” que o realizador se propôs a acompanhar neste filme, Valter Hugo Mãe gravou com Miguel Gonçalves Mendes na floresta dos suicidas, um local de meditação e morte no sopé do Monte Fuji, na ilha japonesa de Honshu. E é parte dessas imagens que formam o vídeo de apresentação de Homens Imprudentemente Poéticos e que o PÚBLICO estreia online, depois de ter sido exibido nos eventos de lançamento na Casa da Música, no Porto, e no Teatro S. Luiz, em Lisboa.

“Este vídeo feito de imagens do filme compõe um dos lugares mais dramáticos e icónicos onde já estive: a floresta dos suicidas”, diz o realizador, numa declaração por escrito. “Apesar de a sequência ter sido filmada para O Sentido da Vida, ela acaba por ser o reflexo imagético da caminhada de Itaro e de sua irmã cega, protagonistas do novo livro do Valter. Foi, portanto, para mim, um privilégio ter estado a seu lado quando esboçou esta cena no próprio local. Tem, aliás, sido um privilégio tudo o que o autor tem dado a este filme”.

O realizador de José e Pilar tinha uma ligação evidente com o autor de o remorso de baltazar serapião: José Saramago – que classificou a escrita de Valter Hugo Mãe como “um tsunami”, quando este ganhou o prémio com o seu nome, em 2007. Agora partilham muito mais. “O Miguel Gonçalves Mendes, por força do extenso documentário que realiza, está como sombra na minha vida, presença muito constante que assiste aos meus passos. Por vezes, quando algo se coloca como fundamental para o meu percurso, o Miguel redobra os sentidos. Vê na proximidade quase intrusiva, quase interior, que nos revela mais do que representa”, diz o escritor.

“O vídeo que agora se mostra é uma ínfima parte do que se filmou no Japão. Importa sobretudo pela passagem naquela que é chamada de floresta dos suicidas, lugar junto ao monte Fuji onde, há muitas décadas se refugiam em meditação aqueles que ponderam enforcar-se. Não há como esquecer a impressão de ali entrar”, acrescenta Valter Hugo Mãe, também numa declaração escrita enviada ao PÚBLICO pela Porto Editora, que publica Homens Imprudentemente Poéticos e tem os outros seis romances no seu catálogo.

Artigos relacionados

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.