Car-sharing no Porto estreia novo tarifário no sábado

O projecto Citizenn, da Transdev, que levou à cidade do Porto a experiência do car-sharing, vai ter a funcionar um novo tarifário, já a partir do próximo sábado. Jorge Azevedo, director de Inovação da Transdev-Iberia, explica que esta é uma forma de tentar atrair mais membros individuais, uma vez que têm sido as empresas a mostrar mais interesse no projecto. Para já, o Citizenn captou 25 membros.

Jorge Azevedo garante que a adesão do público ao conceito de partilha de um veículo, alugado à hora, "é boa" Ainda assim, admite que gostaria de chegar ao final do ano com "100 a 150" membros do Citizenn. Ainda que os números por si só digam pouco. "Não sabemos nunca qual será o rácio membro-utilizador. Vamos aprendendo com a experiência", diz.

Por enquanto, a implementação do serviço no Porto mostra que os membros são, de facto, utilizadores. Tanto os particulares como as empresas, que constituem o grosso das 25 adesões. Para tentar inverter esta tendência, e chamar mais particulares para o car-sharing, a empresa vai dar início a um novo tarifário, que funcionará em simultâneo com o já existente. "É um bocado como acontece com os telemóveis. Cada membro poderá escolher o seu", explica Jorge Azevedo.

Até hoje, o único sistema em funcionamento, o Mobility, implica uma adesão anual, com um custo mensal de 12 euros. Com o novo tarifário, o Liberty, os aderentes apenas pagarão a inscrição (25 euros, comum ao outro tarifário) e não têm que pagar qualquer mensalidade. A diferença é que os membros Liberty pagarão um custo um pouco mais elevado por cada quilómetro efectuado.

Hoje, é apresentado um novo carro eléctrico, que poderá integrar a frota do Citizenn "até ao final do ano". Para tal, é necessária a existência de pontos de carregamento. Mas, para já, a frota e os locais de estacionamento dos veículos vão permanecer na mesma - o que não significa que não esteja sempre algo a mudar no projecto. O Citizenn dispõe de Smarts e Mercedes Class A, estacionados em nove pontos estratégicos do Porto.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues